segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

BAIXADA URGENTE

INTO TEM 20 MIL NA FILA
DE ESPERA POR CIRURGIA

Cerca de 20 mil pessoas esperam por uma cirurgia no INTO - Instituto Nacional de Traumato-Ortopedia, unidade de referência do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro. Segundo o vice-diretor do instituto, João Matheus Guimarães, as maiores filas de espera encontram-se nas especialidades de cirurgias de prótese de quadril, de prótese de joelho e de coluna vertebral. Para essas cirurgias, os pacientes podem aguardar até três anos.
Para cirurgias menos complicadas, a fila é menor, assim como o tempo de espera. Para as intervenções em mãos e pés, por exemplo, a espera pode ser de apenas um mês, conta o vice-diretor.
A fila de espera por cirurgias no Into vem crescendo ano a ano, já que o instituto não consegue atender à demanda e, com isso, o número de pacientes vem acumulando. Em 2008, por exemplo, a fila tinha 17 mil pacientes. A expectativa do vice-diretor do Into é de que esse problema seja amenizado com a inauguração da nova sede do instituto, que funcionará no antigo prédio do Jornal do Brasil, na zona portuária do Rio de Janeiro. Com o novo local, espera-se ampliar de 8 para 21 o número de salas de cirurgia, mais do que dobrando a capacidade do Into.
Parte do novo prédio já deverá ser inaugurada em maio deste ano. O restante das obras será gradualmente liberada até que, em outubro deste ano, o novo Into possa estar funcionando plenamente. Entre maio e outubro, portanto, a mudança da sede atual para o novo prédio deverá ser gradual. Com a nova sede, o Into acredita que a espera para cirurgias como as de quadril e joelho seja reduzida de três anos para um ano e meio. O novo hospital também permitirá triplicar a capacidade de atendimentos ambulatoriais

UNIGRANRIO TERÁ CURSO
DE HISTÓRIA DA BAIXADA


O Curso de História da UNIGRANRIO criou o curso de especialização em História Social da Baixada Fluminense como parte de sua política de extensão. Essa política tem como objetivo aperfeiçoar, capacitar e desenvolver as potencialidades dos profissionais de ensino e de pesquisa em História. No caso da abordagem regional proposta, esta visa atender a demanda de informações qualificadas sobre a História da Baixada Fluminense, articulada à História nacional.
O curso terá 380 horas em 12 disciplinas distribuídas em 3 módulos. O primeiro é formado por temas de amplitude nacional (Brasil Colônia, Brasil Império e Brasil República). O segundo aborda questões locais e regionais (Etnohistória do Brasil e da Região; Escravidão no Recôncavo da Guanabara; De Iguassu à Baixada: Transição do Rural para o Urbano; A Baixada no Século XX: Sociedade e Cultura; e, Poder Político e Movimentos Sociais na Região). O terceiro eixo abriga as disciplinas de produção científica (Técnicas de Busca e Tratamento da Informação; Técnicas de Elaboração de Relatórios; Técnicas de Reuniões e Conclaves; Aspectos Significativos da pesquisa na Área de Conhecimento do Curso).
O curso terá como Coordenadora a Professora Especialista Tania Amaro de Almeida e será integrado pelos professores as Doutores Washington Dener dos Santos Cunha, Angela Maria Roberti Martins e Jacqueline de Cassia Pinheiro Lima, os Mestres Alexandre dos Santos Marques, Antonio Augusto Braz, Elisa Goldman, Marlucia Santos de Souza, além do doutorando Nelson Rosa Bezerra.
Inscrições podem ser feitas pelo no site http://www.unigranrio.br/ , o pagamento será parcelado em até 15 vezes e as aulas serão sempre aos sábados das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas, com início previsto para 6 de março e conclusão em abril de 2011

RÁPIDAS

· O presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusou ontem (25) o ex-prefeito do
Rio de Janeiro César Maia de atrasar o início das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, zona oeste da cidade. A crítica de Lula foi feita durante a inauguração de parte das obras.
· “Na verdade, essas obras já poderiam estar muito mais adiantadas se o prefeito anterior não tivesse guardado dinheiro em vez de fazer a obra. A parceria que estou construindo aqui no Rio de Janeiro com o Sérgio Cabral [governador] e com o Eduardo Paes [atual prefeito] não tem mais lugar para intriga, para briga pequena, porque, quando dois políticos brigam, quem perde é o povo”, disse Lula.
· A comitiva de Lula, que incluía a ministra Dilma Rousseffe, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes, acabara como vítimas da chuva de ontem (25) à tarde. Na hora de sair de Jacarepaguá, o helicóptero em que o presidente embarcaria não pode decolar por falta de visibilidade, o que obrigou Lula a seguir para o Leblon, onde participou da festa do 100º aniversário de Da. Maria Amália Buarque de Holanda, mãe do compositor Chico Buarque de Holanda.
· No centro de Duque de Caxias, o trânsito ficou confuso com o transbordamento da rede de esgotos. Na Av. Presidente Vargas, onde fica o Mergulhão, a água invadiu as lojas, além da área do Forró na Feira.
· O Governo, finalmente, caiu na real e jogou a toalha. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse ontem (25) que o governo não descarta a possibilidade de importar etanol (álcool) dos Estados Unidos para abastecer o mercado brasileiro. “Nós não gostamos da ideia e preferimos arrumar soluções internas. Mas não está descartada a possibilidade”, afirmou o ministro.
· O governo, de acordo com Lobão, tem observado uma migração do álcool para a gasolina na hora de o consumidor abastecer. “Há realmente uma redução no consumo. É bom que haja temporariamente um consumo menor, já que a produção foi pequena”, disse o ministro.
· O dono da empresa de informática CTIS, Avaldir da Silva Oliveira, entrou com pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para que possa ficar em silêncio todas as vezes que for chamado pela Polícia Federal para depor sobre o suposto esquema de corrupção no Distrito Federal. O primeiro depoimento dele à PF está marcado para esta quarta-feira (27), às 10h.
· Durante a Operação Caixa de Pandora, da PF, o ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal Durval Barbosa apontou a CTIS como uma das empresas envolvidas no esquema. O empresário pede ao STF liminar para não ser obrigado a assinar termo de compromisso no depoimento e permanecer calado para não se incriminar. A defesa de Oliveira alega que o cliente é tratado como suspeito nas investigações, já que os sigilos bancário e fiscal da empresa foram quebrados em dezembro passado.
· O presidente afastado da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Leonardo
Prudente (sem partido) encaminhou carta à Mesa Diretora da Casa, comunicando sua renúncia ao cargo. O documento foi recebido pelo corregedor deputado Raimundo Ribeiro (PSDB) na manhã de ontem (25), mas está datado do dia 21 de janeiro, última quinta-feira.
· Segundo Ribeiro, pelo regimento interno, a renúncia não retira do cargo de vice-presidente, o deputado Cabo Patrício (PT), que comanda a Casa desde o afastamento de Prudente, determinado pela Justiça. A Câmara Legislativa tem sete dias para eleger o novo presidente.
· O deputado Raimundo Ribeiro afirmou que o esclarecimento feito na sexta-feira pelo juiz da 7ª Vara da Fazenda Pública de que a CPI da Codeplan não ficou extinta, com o afastamento das investigações de oito deputados citados na Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, deverá ser acatado pelo presidente da comissão, Alírio Neto (PPS). Ele havia declarado que ela estaria extinta, com a decisão do juiz.
· A renúncia de Leonardo Prudente foi mais uma manobra da maioria governista para esvaziar a CPI e proteger o governador Arruda, principal suspeito da montagem de um esquema de desvio de recursos do Distrito Federal.
· O Diário Oficial da União publicou resolução do Conselho Nacional de Justiça que determina a criação de varas especializadas na execução de penas alternativas à privação da liberdade. A medida foi aprovada em reunião do dia 15 do mês passado, pelo plenário do CNJ.
· A ideia é adotar um modelo descentralizado de monitoramento na aplicação e cumprimento dessas penas, com a participação de uma equipe multidisciplinar, composta também por psicólogos e assistentes sociais. A resolução determina a criação de centrais de acompanhamento e núcleos de monitoramento vinculados às varas de execução das medidas alternativas.
· As varas especializadas terão que adotar um sistema eletrônico para acompanhar o cumprimento das medidas. O objetivo é controlar o número de presos do sistema alternativo, o tipo de pena aplicada, casos de descumprimento da medida, conversão de pena privativa em liberdade e outras informações.
· A 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio condenou a Casa Bahia a pagar indenização de R$ 10 mil, a título de danos morais, a um cliente que teve seu nome lançado, de forma indevida, nos cadastros restritivos de crédito. A decisão foi do desembargador Sidney Hartung, que confirmou sentença de primeira instância, reparando apenas a parte da contagem dos juros moratórios. Ele considerou também a quantia dentro do princípio da razoabilidade e compatível com a função pedagógico-punitiva.
· Em 1º de maio de 2008, o cliente foi a uma loja comprar um produto através de crediário. Não pôde faze-lo, pois o seu nome constava em diversas anotações junto aos cadastros de maus pagadores, sendo duas delas, inclusive, promovidas pelas Casas Bahia, embora ele nunca tivesse realizado qualquer negociação anterior com a empresa e também com as demais lojas negativadoras.
· O consumidor tentou, via telefone, esclarecer os fatos, não obtendo resposta satisfatória. Ele esclareceu ainda que não foi notificado da existência da suposta dívida e tampouco da inclusão de seu nome nos cadastros restritivos de crédito.
· “O demandante comprovou o dano, o que razoavelmente fez presumir que a empresa não estruturou adequadamente seus serviços de modo a impedir a injusta negativação do nome do autor nos cadastros de proteção ao crédito. Tal lançamento indevido configura hipótese de dano moral, passível de reparação”, afirmou o relator que declarou também inexistente o contrato e seus débitos e arbitrou os juros, de 1% ao mês, a contar do evento danoso.
· Policiais da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) e técnicos da Assessoria de Segurança Empresarial da Nova Cedae encontraram sexta-feira (22) ligações clandestinas no Colégio Souza Duarte, um colégio particular, localizado na Rua Celeste Alves de Souza, 41, em Austin, Nova Iguaçu, que não tem nem matrícula na Cedae, era abastecido por meio de uma ligação clandestina de meia polegada de diâmetro. Com 62 funcionários e 800 alunos de 1º e 2º graus, a escola tem 12 salas de aula, piscina olímpica e quadra esportiva.
· Organizar, controlar e manter em ordem os produtos das lojas ou empresas são algumas das habilitações dos profissionais que atuam como estoquista. Para capacitar os interessados em atuar nesta área, o Centro Vocacional Tecnológico (CVT) de Nova Iguaçu está recebendo inscrições para o curso de estoquista, que tem duração média de três meses e aulas duas vezes por semana. Para participar do curso, é necessário ter mais de 18 anos e o ensino fundamental completo.
· O curso é gratuito e as inscrições acontecem até esta quinta (28) no CVT, que fica na Rua Doutor Paulo Fróes, 38, no Centro de Nova Iguaçu (em frente à estação de trem). Para se inscrever, é preciso apresentar documento de identidade e comprovantes de residência e escolaridade. Mais informações pelo telefone 2332-4083.
· A Secretaria estadual de Saúde determinou a suspensão da fabricação e venda de produtos da empresa Básico Aroma Indústria e Comercio, especializada em material de higiene pessoal e cosméticos. A Vigilância Sanitária dos municípios terá de recolher a mercadoria no prazo de 15 dias.
· Também foi interditado, como medida de interesse sanitário, a clínica SENEFRO Serviços Médicos Nefrológicos, localizado em Nova Iguaçu. A empresa deverá elaborar plano de remoção dos pacientes assistidos no loca nas próximas 48 horas.
· A toxoplasmose, uma doença infecciosa de alta incidência mundial, mesmo em países desenvolvidos, é causada pelo protozoário “Toxoplasma gondii”, eliminado pelas fezes dos felídeos, principalmente dos gatos domésticos, facilmente transmitido às pessoas. Além de sua forma congênita, o simples contato com superfícies contaminadas pelo parasita ou a ingestão de alimentos infectados – especialmente carnes cruas ou mal passadas - são vias frequentes de contágio.
· Para possibilitar maior controle da doença, o veterinário Marcos de Assis Moura, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), vem desenvolvendo, com apoio da FAPERJ, o projeto Estudo do ciclo biológico do Toxoplasma gondii em culturas primárias de enterócitos de gato doméstico. Sob a orientação das pesquisadoras Helene S. Barbosa e Maria Regina Amendoeira, ambas da Fiocruz, Marcos Moura desenvolveu um modelo de cultivo in vitro de células intestinais de gato doméstico.
· De acordo com Marcos, a reprodução sexuada do protozoário causador da toxoplasmose acontece somente no intestino dos felídeos. Ali são produzidos os oocistos (ovos), que, depois de eliminados pelas fezes dos animais, contaminam água, solo, planta, outros animais e o homem.
· A toxoplasmose é uma doença assintomática em cerca de 80% dos casos. Torna-se mais grave quando contraída por pessoas com baixa imunidade ou transmitida de forma congênita, ou seja, da mãe para o feto, podendo causar retardo mental, cegueira, problemas oculares e até provocar um aborto espontâneo. A doença, no entanto, não é transmissível de uma pessoa para outra, embora já tenha sido constatada a transmissão por transfusão sanguínea e pelo transplante de órgãos de pessoas infectadas.


CAMINHÃO INVADE ÁREA
DO FORRÓ NA FEIRA


Um caminhão desgovernado invadiu semana passada a área onde se realiza, nos fins de semana, o projeto “Forró na Feira”, derrubando uma das palmeiras plantadas há menos de um ano, numa das primeiras obras do atual governo. Nem a Secretaria de Obras, muito menos a de Serviços Públicos atentaram, porém, para perigosa curva na confluência das Avenidas Duque de Caxias e Presidente Vargas, ao lado da estação ferroviária. As conseqüências do acidente poderiam ser trágicas se ocorrerem durante o dia ou num fim de semana, quando centenas de pessoas se reúnem para dançar e apreciar comidas típicas do Nordeste.Até agora, nenhuma providência foi tomada pela Prefeitura, como colocar uma grade de proteção ou um redutor de velocidade naquele local para reduzir a possibilidade de novos acidentes.. É a mesma situação enfrentada pelos moradores em áreas de risco: por razão econômica ou eleitoreira, o Governo fecha os olhos para essas construções feitas em barrancos ou beira de rios. Sempre que ocorrem as tragédias, com mortos e feridos, além dos danos matérias, como ocorreu em Duque de Caxias, Belford Roxo e Angra dos Reis, nossos Governantes anunciam medidas enérgicas para impedir novas construções em áreas de risco. Passados 30 dias do enterro das vítimas, essas providências voltam para o arquivo morto!

Um comentário:

YAKUZA disse...

VCS PODEM ENTRAR EM CONTATO COM O NUMERO 74509872 POR FAVOR