domingo, 22 de dezembro de 2013

COMPLEXO DA MANGUEIRINHA
GANHA NOVAS ÁREAS DE LAZER 
Moradores do Complexo da Mangueirinha, em Duque de Caxias, pacificado desde agosto com a ocupação pela Polícia Militar, começam a receber da prefeitura diversos serviços até então negados à população daquela área, como vacinação, cursos profissionalizantes, carteira de identidade e de trabalho, acesso a programas sociais como o Bolsa Família.  Na sexta-feira (20) o vice-governador Luiz Fernando Pezão e o prefeito Alexandre Cardoso inauguraram os novos campos de futebol nas comunidades do Sapo e Telefônica, um desejo antigo de quem vive nestes locais.  Além da reforma do alambrado, iluminação e até a grama sintética, os moradores ganharam ainda um playground.
Mais uma vez, o prefeito agradeceu o grande apoio que os governos do federal e do estado vem dando e lembrou que este é apenas o primeiro ano de seu mandato “Sempre que precisei de alguma ajuda, o Estado se dispôs a ajudar. Hoje trago aqui o homem que é referência na diminuição das disparidades entre as pessoas que têm e as que não têm. Quero fortalecer cada vez mais essa parceria que vem dando certo entre os governos federal, estadual e municipal”, afirmou ao mencionar a presença do vice- governador.
Sobre os campos inaugurados, Cardoso pediu aos moradores que cuidassem do espaço, reformado com tanto sacrifício pela prefeitura. “Estamos inaugurando um sonho dos moradores. Será o fim da lixeira que existia neste local. Vamos cuidar, assumir o compromisso de não encher isso de lixo novamente. Estou cumprindo meu dever de homem público, que é pegar seu dinheiro e transformá-lo em felicidade através do esporte e lazer”, frisou.
Depois de percorrer durante o dia Friburgo, Magé e o Ceasa, o vice-governador Luiz Fernando Pezão não escondeu a satisfação com a inauguração dos campos de futebol em Caxias. “Tenho que parabenizar o prefeito Alexandre Cardoso. Nunca vi o custo de uma obra sair tão barato quanto essa. Ele está dando uma demonstração de carinho e respeito pelo seu povo”, disse.
Presidente da associação dos moradores do morro do sapo, Ivan Teixeira não esquece os anos que a comunidade passou abandonada pelo poder público. “Os moradores não tinham mais esperança de melhorias para região. Essa quadra vivia abandonada e estava interditada. Hoje vemos um sonho realizado. As crianças voltam a ter um espaço que nunca deveriam ter perdido”, disse o representante, antes de ser avisado pelo prefeito que a creche do local também passará por reformas no próximo ano. “Dá orgulho ver a prefeitura investindo aqui na Mangueirinha”, concluiu.

►AS PROMESSAS DE PEZÃO
Na visita ao Complexo da Mangueirinha, o vice governador Luiz Fernando Pezão fez um balanço da parceria entre o Estado e a prefeitura. “Estamos asfaltando mais de 12 bairros em Caxias. Vamos ser o primeiro estado a acabar com a situação de famílias que moram abaixo da linha da pobreza. Só em Caxias são 34 mil famílias que se encontram nesta situação. O Alexandre é o principal defensor dessa parceria que ainda vai continuar trazendo muitos benefícios para cidade”.
Dentre os principais benefícios trazidos pela parceria para o município, segundo  Pezão, estão o projeto Guandu 2, que possibilitará uma estação de abastecimento para os moradores da Baixada Fluminense; os novos trens da Supervia que começaram a chegar em janeiro,  a conclusão da obra do Arco Metropolitano, as obras de duplicação da Av. Governador Leonel Brizola  e da primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) pediátrica do Brasil,; além do asfaltamento de ruas da cidade e da reinauguração do hospital Duque de Caxias, fechado para obras desde janeiro de 2009.

► MINHA CASA PELA INTERNET
Os moradores de Duque de Caxias interessados em se inscrever no programa do governo federal Minha Casa Minha Vida não precisam mais enfrentar filas. A secretaria de Planejamento, Urbanismo e Habitação de disponibilizou a inscrição através de um link na página principal da prefeitura. “Isso vai facilitar a vida do cidadão que não precisará enfrentar filas e se deslocar de sua residência para realizar a inscrição. Além de dar mais transparência e podermos criar um banco de dados”, destacou o subsecretário de Habitação, Kelson Senra.
Para realizar a inscrição no programa do governo federal, o interessado deve ser maior de 18 anos, possuir uma renda familiar bruta de até R$ 1600, não possuir imóvel em seu nome, não ter sido beneficiado por programas de habitação de interesse social anteriormente e residir em Duque de Caxias. Todas as exigências estão especificadas no link http://migre.me/h5Hsf.
Somente este ano a prefeitura já distribuiu 464 apartamentos no condomínio Bolzano e, neste sábado (21), foram entregues as chaves para mais 488 famílias que irão morar no condomínio Pádua, no bairro Nossa Senhora do Carmo, próximo à estação de Gramacho. Segundo o subsecretário Kelson Senra, a previsão para 2014 é que 1500 famílias sejam assistidas pelo Minha Casa Minha Vida apenas no primeiro semestre. Fotos: Rafael Barreto

►JUSTIÇA PROÍBE REUTILIZAÇÃO DE SERINGAS
A Justiça Federal em Belém acatou pedido do Ministério Público Federal (MPF) e determinou a suspensão parcial de ato administrativo do Ministério da Saúde que indicava a reutilização, pelos diabéticos, de seringas descartáveis na aplicação contínua de insulina. A decisão é provisória, porque foi tomada em tutela antecipada, e tem eficácia nacional.
A medida, anunciada quinta-feira (19), atendeu a pedido apresentado por meio de ação civil pública ajuizada pelo MPF no Pará em novembro passado. Segundo o Ministério da Saúde, o órgão seguia orientação internacional que permite a reutilização de seringas, por uma mesma pessoa, em ambiente domiciliar.
A orientação está na página 52 do volume 16 da série Cadernos da Atenção Básica, editado pelo próprio Ministério da Saúde. O documento considera adequada a reutilização de seringas descartáveis por até oito aplicações de insulina na mesma pessoa. A iniciativa tentava reduzir os custos na compra de seringas por parte do Ministério.
De acordo com o MPF, a orientação dada pelo Ministério da Saúde é ilegal e fere as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), colocando os pacientes em risco. O MPF quer que a orientação seja anulada e que o Sistema Único de Saúde (SUS) forneça agulhas para insulina suficientes para não haver reutilização.

►ATRASO NO PAC DO SANEAMENTO
Um plano estratégico de saneamento básico para a Região Metropolitana do Rio foi defendido quinta-feira (19), pela Comissão de Governança da Região Metropolitana da Assembleia Legislativa, em reunião marcada pela apresentação de um estudo por parte da pesquisadora do Observatório das Metrópoles do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal Fluminense (Ippur/UFRJ), Ana Lúcia Britto, sobre os problemas de saneamento que atingem a região.
“Existe uma dificuldade muito grande dos municípios de cumprirem as metas de universalização da água, coleta e tratamento de esgoto, como estabelece a lei nacional de saneamento”, afirmou a deputada Aspásia Camargo (PV), presidente do colegiado.
A pesquisadora apontou para um atraso significante nas obras do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC I) nas obras de saneamento da Região Metropolitana, o que agrava ainda mais a situação dos municípios. “Essas obras deveriam estar concluídas. Obras para estação de tratamento de esgoto, para coleta. Obras fundamentais para melhorar a qualidade de vida da população que vive nessa região”, pontuou Ana Lúcia Britto. O deputado Luiz Paulo (PSDB), membro da comissão, reforçou a importância de um plano de saneamento para a região. “É de desconhecimento público qual o plano da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) para melhorar o abastecimento de água, e para dar conta do quase inexistente sistema de coleta e tratamento de esgoto, que tem indicadores muito ruins na Baixada Fluminense. Sem um plano estratégico, fica difícil visualizar o futuro”, acrescetntou o parlamentar. 
Postar um comentário