quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

COMISSÃO COBRA MAIS TRANSPARÊNCIA
NAS OBRAS NA SERRA DE PETRÓPOLIS
 A Comissão Especial da Assembleia Legislativa do Rio, criada para acompanhar a construção da nova pista de subida da Serra de Petrópolis, na BR-040 (Rio-Juiz de Fora), está insatisfeita com o andamento das obras. Segundo o presidente do grupo, deputado Bernardo Rossi (PMDB), a Concer — concessionária que administra a rodovia — não estaria respondendo às questões levantadas pela Casa. A obra está orçada em R$ 900 milhões, sendo R$ 250 milhões da Concer e R$ 650 milhões da União, e tem prazo de entrega para junho de 2016. Pelo contrato original de concessão, todo o investimento para a duplicação da rodovia deveria ser feito pela concessionária, mas o Governo resolveu em 2012 “dar um empurrão” e colocar dinheiro do Tesouro para tentar acelerar as obras, que só devem ser concluídas em 2016.
“Nós enviamos uma série de documentos com solicitações de informações há 30 dias. Essa audiência era para ter começado com esses dados. Então, marcaremos uma nova audiência pública. A concessionária não nos respondeu, mas a comissão irá acompanhar a obra de perto. É um investimento de quase R$ 1 bilhão que tem uma influência enorme para a sociedade”, afirmou Rossi.
Gerente de engenharia da Concer, Alcimar Penha disse aos parlamentares que os documentos solicitados pela comissão já foram encaminhados. Além disso, o cronograma de obras, pedido hoje pelo deputado Luiz Paulo (PSDB), também será entregue à Alerj.
Moradores de Petrópolis participaram da reunião. Segundo Josiane Batista, que vive no bairro Duarte da Silveira, as desapropriações para a construção da pista estão deixando a população local insegura. “Há dois anos, tivemos uma reunião com a Concer, que disse que, tão logo começassem as obras, eles iriam conversar com os moradores. Até agora nada. Queremos saber o que vai acontecer e qual será o valor da indenização. É difícil comprar um imóvel em Petrópolis hoje. O prazo que darão será suficiente para comprarmos outra casa?”, indagou.
Diante disso, Bernardo Rossi disse que fará a ligação entre a população e a Concer. “Pedi uma data para, no máximo semana que vem, conversarmos com a concessionária. Vou acompanhar isso, pois nós estamos pagando um preço alto pelas obras da nova subida da serra. Se houver desapropriação, deve ser com transparência e clareza para que ninguém saia prejudicado”, disse.

O gerente da Concer confirmou que haverá remoções, mas pediu tempo até que haja uma definição sobre o que será feito. “Temos feito esse trabalho, principalmente na comunidade onde estamos mais próximos, que é em Duque de Caxias, mas com o tempo chegaremos às demais para adiantar essa conversa e amenizar essa situação”, explicou. 
Postar um comentário