terça-feira, 17 de dezembro de 2013

NOVA TRAGÉDIA NA AV. GOVERNADOR
LEONEL BRIZOLA MAS VELHOS CULPADOS 
O trágico acidente ocorrido no fim de semana na Av. Governador Leonel Brizola, antiga Presidente Kennedy, no bairro de Vila Rosário – provocando a morte de quatro pessoas que viajavam nos dois veículos que colidiram – não foi uma mera fatalidade, como as autoridades costumam se referir a acidentes decorrentes das péssimas condições de nossas estradas.  Segundo relato de morados do área, o motorista de uma Brasília perdeu o controle do veículo ao passar por um desnível na pista, acabando por capotar e se chocar com outro veículo, um Corola, que acabou caindo numa vala à beira da estrada, que não tem acostamento. O local também não atem iluminação e a antiga Rio-Petrópolis está “EM OBRAS” desde 2003, ainda no Governo de Rosinha Garotinho, obras que consistem na simples duplicação de um trecho de pouco mais de 15km entre o viaduto do Centenário e a junção com a BR-040, na entrada de Campos Elíseos.
A antiga ligação entre o Rio e Petrópolis foi construída entre 1926 e 1928 pelo Ministério de Viação e Obras Públicas utilizando tecnologia tão simples como carroças puxadas por mulas, enxadas e picaretas para o corte de morros e dinamite na abertura de túneis. A estrada foi inaugurada pelo Presidente Washington Luiz em agosto de 1928, com uma extensão de 67 km, cruzando rios e córregos, passando por um terreno pantanoso e cortando a Serra de Petrópolis, inclusive com a abertura de túneis. Foi a primeira estrada do País a utilizar cimento asfáltico, que ainda hoje serve de pista na subida da serra.
A estrada foi transferida para o domínio do Governo do Estado no início dos anos 50, depois da construção da variante “Washington Luiz”, atual BR-040, que retirou o trânsito pesado do centro de Duque de Caxias.
E o DER que não consegue refazer um trecho de rodovia de apenas 15 km foi muito rápido na construção de um estádio de futebol, o “Marrentão”, em Xerém, inaugurado no Governo Washington Reis e doado em usofruto para um clube de futebol formado basicamente com jogadores que pertenciam ao Vasco da Gama, do qual são torcedores o governador Sérgio Cabral e o ex prefeito do município.
O DER e o Governo do Estado não tem como se eximir da culpa in vigilando pela dor causada às famílias das vítimas de mais esse acidente, cuja causa principal continua sendo a incompetência pública e notória do DER e do governador.
Postar um comentário