segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

DINHEIRO DA VENDA DO GALEÃO VAI
SUBSIDIAR AS  PASSAGENS DE AVIÃO      
Quem mora em Juiz de Fora e quiser assistir ao Réveillon de Copacabana, poderá viajar para o Rio de Janeiro, distante 240 km, pagando apenas R$ 106, ida e volta, valor cobrado pelas empresas de ônibus para o mesmo percurso, ao invés dos R$ 880,00 cobrado pelas voadoras.  Para quem mora em São Paulo e resolver visitar os parentes em São Joé do Rio Preto, distante 440 Km, ao invés dos 654,00 das voadoras. Assim, pelo preço de uma passagem de ônibus em estradas esburacadas e com risco de ser assaltado no meio da viagem, o feliz passageiro irá desfrutar do conforto de viagem de avião, sem trepidação e muito mais rápidas.
Não tem milagre matemático nem truque nesses dois exemplos. A diferença ente os dois sistemas será subvencionado pelo Governo, através do Fundo criado para receber os R$ 20 bilhões referentes à privatização do Aeroporto do Galeão (Tom Jobim). É o vale transporte aéreo. Essa forma inventiva de gastar o dinheiro da privatização dos aeroportos foi anunciada no fim de semana pelo Ministro da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, que explicou que o sistema de subvenção será feito por região, considerando o preço das tarifas de ônibus e das empresas aéreas, uma medida explicitamente eleitoreira, pois visa justamente o eleitor dos chamados grotões, que costumam votar nos candidatos do Governo, qualquer governo,  em troca de pequenos favores, como uma emprego numa prefeitura, uma vaga num hospital para uma cirurgia, um par de sapato ou até mesmo  carro pipa para enfrentar a seca, como é comum no Nordeste, mesmo que a água seja transportada em tanques utilizados, anteriormente, para armazenar gasolina, álcool e até óleo diesel, como demonstrou a reportagem exibida pelo “Fantástico” nesse domingo.
Postar um comentário