domingo, 1 de dezembro de 2013

BRASILEIRO VIVE MAIS E SERÁ
PUNIDO NA APOSENTADORIA 
 O IBGE anuncia nesta segunda-feira (2) a nova tabela de expectativa de vida da população brasileira. O resultado vai afetar a composição do fator previdenciário que serve de base para o cálculo das aposentadorias do INSS. A previsão é que o instituto mostre que os brasileiros vão viver, em média, mais 40 dias. Segundo especialista, a alta representará perda de 0,25% a 0,5% sobre os benefícios agendados e concedidos pela Previdência Social a partir do mês que vem.
Ante a certeza de que trabalhadores da ativa seriam prejudicados com novo fator previdenciário, centrais sindicais fizeram protestos no último dia 12
Os 40 dias vão mexer na estatística atual de que os brasileiros vivem, em média, 74,8 anos. Homens vão até os 71,3 anos e as mulheres até 78,5 anos, de acordo com o IBGE.
Esse aumento de mais 40 dias na expectativa de vida agravará o quadro de perda com o fator no cálculo das aposentadorias. Hoje, o mecanismo provoca redução de até 40% nas aposentadorias. O cálculo foi adotado em 1999 para forçar o trabalhador a ficar mais tempo na ativa, retardando o pedido de benefício. Considera tempo de contribuição, idade e expectativa de vida do segurado. Quanto mais jovem o trabalhador pedir a aposentadoria, um direito constitucional criado a partir da CLT no Estado Novo, menos ele receberá como justo provento pelos anos dedicados à ajudar a economia a crescer. Para os técnicos e o Governo, a aposentadoria, ao invés de ser um prêmio por mais de 30 anos de labor, será uma punição ao brasileiro que ousou viver mais do que 60 anos, média no País no Século XX.
Postar um comentário