domingo, 10 de maio de 2015

CPI da Petrobras vai votar convocação de Lula, garante presidente


CPI DA PETROBRAS PODERÁ
CONVOCAR LULA E MANTEGA

O ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, pode ser convocado a depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. Mantega é suspeito de impedir a divulgação de um prejuízo sofrido pela estatal no valor de R$ 88,6 bilhões. A deputada federal e integrante da CPI, Eliziane Gama (PPS-MA) vai requisitar o depoimento do ex-ministro. A deputada afirma que ele deve explicar aos parlamentares o motivo de tentar barrar a informação durante um encontro do Conselho de Administração da petroleira em janeiro.
De acordo com Eliziane, Mantega precisa esclarecer se estava a serviço de alguém como a presidente Dilma Rousseff, por exemplo. Segundo a deputada, a petista pode ter feito o pedido ao ex-ministro para esconder do mercado os dados negativos da empresa. “Como conselheiro da Petrobras, Mantega agiu de maneira irresponsável. Foi um conselho muito caro para os cofres e a credibilidade da Petrobras”, disse a parlamentar.
Já o presidente da CPI, deputado Hugo Mota, admitiu em entrevista à jornalista Joice Hasselmannn, da TV/Veja, conforme vídeo acima, que o ex presidente Lula poderá ser convocado a depor, tendo em vista que a área de atuação da CPI começa em 2005 e o ex presidente da Petrobras José Sergio Gabrielle e os diretores envolvidos nos desvios na estatal foram nomeados por Lula.
O jornal Folha de S. Paulo denunciou que ao admitir uma desvalorização das ações da estatal de R$ 45 bilhões, Graça Foster contrariou Dilma. Foster foi demitida pela presidente cinco Dias após a publicação da notícia. Nesta mesma gravação, durante uma reunião de oito horas do conselho, foi identificada a posição de Mantega de omitir as perdas da empresa.
A deputada do PPS critica ainda o aparelhamento político de estatais. “O ex-ministro da Fazenda sugeriu que a empresa petrolífera desrespeitasse as regras da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) ao esconder os resultados. Trata-se de uma atitude completamente irresponsável. Não é à toa que a economia do Brasil chegou ao ponto em se encontra”, conclui a integrante da CPI da Petrobras.
Postar um comentário