domingo, 10 de maio de 2015

DOAÇÕES DE CAMPANHA AGORA
SERÃO INVESTIGADAS PELO MPF 
O Ministério Público Eleitoral está preparado para atuar propondo as representações por doações ilegais para as campanhas das eleições de 2014, matéria de sua atribuição exclusiva. No estado de São Paulo, o prazo para o ajuizamento dessas ações vai até 17 de junho, ou seja, 180 dias contados a partir da diplomação dos eleitos, que ocorreu em 19 de dezembro. Caberá ao promotor eleitoral do domicílio eleitoral de cada doador ajuizar a representação referente a doações consideradas ilegais. A Procuradoria Regional Eleitoral em São Paulo (PRE/SP) atuará no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE/SP) nos processos em que houver recurso.
A fim de aprimorar a atuação coordenada, o procurador regional eleitoral em São Paulo, André de Carvalho Ramos, encaminhou aos 425 promotores eleitorais do estado de São Paulo nota técnica com a jurisprudência atualizada e comentada sobre os diversos aspectos das doações acima do teto legal.
O texto foi consolidado pelo Grupo Executivo Nacional da Função Eleitoral (Genafe). “Foi a forma que encontramos de compartilhar com os promotores eleitorais entendimentos já pacificados pela Justiça Eleitoral de questões muitas vezes polêmicas, o que pode contribuir para dar maior eficiência no ajuizamento de representações", afirmou André de Carvalho Ramos.
De acordo com a legislação, pessoas jurídicas podem doar até 2% do faturamento bruto do ano anterior ao da eleição, enquanto pessoas físicas ficam limitadas a 10% de seu rendimento bruto. A relação de doadores que excederam o teto, apurada a partir de cruzamento de dados feito pela Secretaria da Receita Federal, foi encaminhada pela Procuradoria Geral Eleitoral às procuradorias regionais eleitorais dos estados e do Distrito Federal. 
A PRE/SP colocou-se à disposição para auxiliar os promotores eleitorais nesta frente de atuação.
Postar um comentário