quarta-feira, 22 de julho de 2015

CPIPETRO - BOMBA - Depoimento de Auro Gorentzvaig


PETROBRAS DENUNCIA CONTRATO

COM A BRASKEM COMO IRREGULAR

A Petrobras confirmou a existência de irregularidades em contrato, assinado em 2009, para a venda de nafta petroquímica para a empresa Braskem, produto usado para produção de plástico.  Em nota encaminhada à Comissão de Valores Mobiliário (CVM), a estatal informa que o contrato foi objeto de análise por uma Comissão Interna de Apuração.
A nota esclarece que a comissão “identificou não-conformidades em relação aos procedimentos internos de aprovação do contrato firmado em julho de 2009”. A Petrobras não informou o tipo de "não-conformidade" encontrada.
A Braskem, que atua na área petroquímica, é uma associação da própria Petrobras com a Odebrecht, cujos dirigentes estão presos no Paraná, por conta do envolvimento da empresa no escândalo do petrolão.
Conforme a estatal, foram adotadas as medidas administrativas cabíveis e o relatório final da comissão foi enviado para o Ministério Público Federal (MPF) e a superintendência da Polícia Federal no Paraná, “a fim de que sejam aprofundadas as investigações pelas autoridades responsáveis”.
Segundo a Petrobras, a análise do contrato com a Braskem foi conduzida no contexto da Operação Lava Jato, que investiga fraudes e pagamento de propina em contratos da petrolífera. A companhia esclarece que “outras providências ainda estão sob avaliação e que vem colaborando com as autoridades fornecendo esclarecimentos e documentos”.
Em depoimento na CPI da Petrobras no último dia 2,, um dos herdeiros da Petroquímica Triunfo, o empresário gaucho Auro Gorentzvaig relatou em detalhes a participação da direção da Petrobras no projeto de entregar ao grupo Odebrect o controle da estratégica industgria petroquímica, hoje concentrado na Braskem,
Postar um comentário