segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

DEFENSORIA FISCALIZA PREÇOS
DUPLOS NOS SUPERMERCADOS 
No próximo dia 15, entra em vigor a campanha De Olho no Preço, criada pelo Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon), da Defensoria Pública do Estado. O objetivo da ação é estimular os consumidores a averiguar divergências entre o preço de produtos anunciados dentro do supermercado e o valor efetivamente registrado no caixa. Se for detectada a irregularidade, o item com preço discordante deverá sair de graça. Caso o cliente queira adquirir mais de uma unidade, a primeira sairá de graça e as demais pelo menor preço verificado.
Pioneira no Brasil, a iniciativa conta com outras entidades parcerias. A expectativa é de que pelo menos 200 supermercados em todo o estado participem da ação, que só não contempla produtos das seções têxteis, de eletroeletrônicos, áudio e vídeo ou equipamentos para veículos. Em caso de descumprimento, os supermercados receberão multa diária de R$ 1 mil, revertidos aos Fundos de Defesa do Consumidor. “A ideia é que, com a fiscalização da população, esse tipo de prática irregular seja eliminada. O Rio é o primeiro estado brasileiro a encampar esta ação, e esperamos que seja replicada em outros pontos do país. Os clientes terão um direito maior do que o previsto pelo Código de Defesa do Consumidor, que diante da irregularidade de valores determina somente a cobrança do menor valor anunciado”, disse a coordenadora do Nudecon, Larissa Davidovich.
De acordo com a medida, ao verificar preço discordante no supermercado participante, o cliente deve acionar o gerente do estabelecimento, que, então, aplicará a nova regra. “Nossa tarefa é coibir os erros. Daremos o produto de graça para recompensar o consumidor, que terá um papel de fiscalização. Isso contribuirá para que a loja sinta o peso da sua responsabilidade”, afirmou Aylton Fornari, presidente da Associação de Supermercados do Estado do Rio (Asserj), uma das parceiras da campanha.

►SESI-RJ OFERECE CURSOS GRATUITOS  
As unidades do SESI em Nova Iguaçu e Duque de Caxias estão com inscrições abertas para 192 vagas gratuitas em cursos de Educação Básica de Jovens e Adultos (EJA), oferecidas através do programa SESI/SENAI EducaMais. As inscrições podem ser feitas nas escolas de interesse e as aulas estão previstas para iniciar dia 10 de fevereiro. As vagas serão distribuídas através de sorteio a ser realizado no dia 25 de janeiro, nas escolas em que foram realizadas as inscrições. Em todo o estado do Rio, são mais de 1.774 oportunidades. 
Das vagas, em Nova Iguaçu, 25 são destinadas ao Ensino Fundamental do 1º ao 5º ano, 40 para o Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano e 80 para a 1ª, 2ª e 3ª série do Ensino Médio. Em Duque de Caxias, são 20 vagas para o Ensino Fundamental 6º ao 9º ano e 27 para a 1ª, 2ª e 3ª série do Ensino Médio. Cada série terá duração de seis meses com aulas sempre no turno da noite.
 Para se inscrever, os candidatos às vagas do Ensino Fundamental deverão ter a idade mínima de 15 anos e os candidatos às vagas do Ensino Médio a idade mínima de 18 anos. É necessário apresentar original e cópia do RG, CPF, certidão de nascimento ou casamento e comprovante de escolaridade anterior à fase que deseja cursar. Para os menores de idade, deverão ser apresentados os documentos dos responsáveis.
A matrícula daqueles que forem sorteados deverá ser realizada de 28 de janeiro a 7 de fevereiro.  
A unidade SESI Nova Iguaçu fica Av. Gerson Chernicharo, 1.321 - Bairro da Luz - Nova Iguaçu – RJ, o SESI Caxias está localizado na Rua Arthur Neiva, 100, Bairro 25 de Agosto. Mais informações podem ser obtidas pelo 0800-0231231 ou pelo www.firjan.org.br/educamais, onde está disponível o edital completo.

► COMEÇA A MONTAGEM DA NOVA PONTE  
A Secretaria de Obras de Duque de Caxias iniciou nesta segunda-feira (6), a montagem da nova ponte sobre o Rio João Pinto (também chamado de Capivari), no bairro Café Torrado, em Xerém. O trabalho deverá estar concluído em dez dias. Ao todo serão instaladas 21 vigas da ponte lançada.  O próximo passo será a concretagem, colocação de protetores, a aplicação de asfalto e sinalização. A ponte, que deverá ser liberada ao tráfego até março, irá substituir a que foi levada pela enxurrada em janeiro do ano passado, que deixou centenas de desabrigados e desalojados.
Segundo o secretário de Obras Luiz Felipe essa é a segunda ponte feita no estado utilizando a técnica de ponte lançada, sem colunas no meio para não atrapalhar o fluxo do rio, e ainda projetada um metro acima do nível mais alto já alcançado pela água.
“A ponte terá duas pistas uma passagem exclusiva de pedestres e um ciclovia. Com essa obra a prefeitura espera que a região se desenvolva turisticamente já que o acesso será permitido até para ônibus”, disse.  A prefeitura também está fazendo a dragagem do rio João Pinto. (Fotos: Rafael Barreto)

►IPCA DE 2013 DEVE CHEGAR A 5,97%
A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve fechar 2013 em 5,97%. A expectativa é de instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) e, de acordo com essa pesquisa, a inflação em 2014 será maior do que no ano passado (5,74%).
As projeções estão distantes do centro da meta de inflação estabelecido pelo governo (4,5%) e abaixo do limite superior (6,5%). É função do BC fazer com que a inflação convirja para o centro da meta.
Um dos instrumentos usados pelo BC para influenciar a atividade econômica e, por consequência, a inflação, é a taxa básica de juros, a Selic. Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.
No ano passado, o Copom elevou a Selic em 2,75 pontos percentuais. A taxa encerrou 2013 em 10% ao ano. A expectativa das instituições financeiras é que na reunião do comitê, neste mês, a Selic seja elevada em 0,25 ponto percentual e, posteriormente, haja novo ajuste em igual patamar. Assim, a taxa deve terminar 2014 em 10,50% ao ano.
A pesquisa do BC também traz a mediana (desconsidera os extremos das projeções) das expectativas para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que é 5,40% este ano.
A projeção para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) é 6% em 2014 e para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), a projeção é 6,01%.
A estimativa para os preços administrados é 4%, este ano. Os preços administrados são aqueles cobrados por serviços monitorados, como combustíveis, energia elétrica, telefonia, medicamentos, água, educação, saneamento e transporte urbano coletivo. (Kelly Oliveira - Repórter da Agência Brasil). 
Postar um comentário