quinta-feira, 9 de abril de 2015

JUSTIÇA SUSPENDE RÁDIO
ARRENDADA POR PASTOR
 A Justiça Federal em São Paulo determinou a suspensão das transmissões da Rádio Vida FM, que opera na frequência 96,5 Mhz nos municípios de São José dos Campos e Mogi das Cruzes. A decisão liminar foi concedida a pedido da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão em São Paulo (PRDC, órgão do Ministério Público Federal), que ajuizou uma ação civil pública contra a emissora, a Comunidade Cristã Paz e Vida e seus respectivos representantes devido a irregularidades na execução do serviço público de radiodifusão. A sentença determinou ainda a indisponibilidade dos bens da empresa, da instituição evangélica e de três envolvidos, entre eles o ex-deputado federal Carlos Apolinário e o pastor Juanribe Pagliarin.
A Rádio Vida FM infringiu a Lei Geral de Telecomunicações (Lei 9.472/97) ao transmitir para área maior que a permitida e ceder a totalidade de seus horários de programação à Comunidade Cristã Paz e Vida mediante pagamento. A emissora tem autorização para explorar o serviço de radiodifusão sonora a partir de São José dos Campos, com potência de 30 kW. No entanto, o inquérito sobre a atuação da rádio demonstrou que ela é transmitida também de outra estação, em Mogi das Cruzes, com potência de 100 kW, suficiente para alcançar outros municípios da Grande São Paulo. Além disso, os concessionários lucraram ilegalmente R$ 20,88 milhões entre 2009 e 2014 ao “alugar” a frequência à Paz e Vida, que passou a gerar todo o conteúdo sem ter participado do necessário processo licitatório para exploração do canal.

A liminar estabeleceu que a União e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) se abstenham de conceder novas outorgas aos réus. Ao lado do presidente e fundador da Paz e Vida, Juanribe Pagliarin, e do sócio da Rádio Vida, Carlos Apolinário, outra representante da emissora, Gedalva Lucena Silva Apolinário, também teve os bens bloqueados. A decisão visa à garantia de recursos para o cumprimento de eventual sentença que condene os réus ao ressarcimento dos danos causados à União devido à cessão ilegal da frequência.
Os autores da ação são os procuradores da República Jefferson Aparecido Dias, Elizabeth Mitiko Kobayashi e Pedro Antônio de Oliveira Machado. (Proc. Nº 0020491-51.2014.4.03.6100)


►PARA A OPOSIÇÃO, DILMA JÁ ABDICOU
A oposição fez críticas severas à decisão da presidente Dilma Rousseff de transferir a articulação política de seu governo ao vice-presidente, Michel Temer. A decisão foi tomada na tarde desta terça-feira e anunciada aos líderes do governo. Para o líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE), a presidente abriu mão de comandar um posto estratégico do governo, o que significa na prática que ela abdicou do cargo.
“Depois é a oposição que quer que ela saia do governo, ela já saiu do governo”, acusou o parlamentar.
O líder da Minoria, deputado Bruno Araújo (PE), afirmou que Temer foi indicado ministro por exclusão, já que os demais candidatos sondados não aceitaram a indicação. “Ela não achou um cidadão brasileiro que topasse ser seu ministro da Secretaria de Relações Institucionais. A secretaria foi extinta por não haver brasileiros que pudessem assumir a complexidade que é assumir a articulação política de Dilma Rousseff”, disse.
O líder do Psol, deputado Chico Alencar (RJ), fez um trocadilho e disse que a indicação de Temer não era “temerária”. “Pode ser que a articulação política do Palácio de lá com o Palácio de cá melhore, mas o fundamental é que melhore a relação dos palácios com a praça, e essa merece muito empenho de todos nós”, comentou.
O líder do governo, deputado José Guimarães (PT-CE), saiu em defesa de Dilma. Para ele, a indicação de Temer teve o aval dos líderes do governo e vem para melhorar a relação com o Congresso. “Ninguém melhor para essa missão do que o ex-presidente desta Casa, que foi parlamentar por 25 anos e pode consolidar a nossa base e qualificar a relação do governo com o Congresso, inclusive dialogando com a oposição responsável”, afirmou.
A nomeação também foi defendida pelo líder do PT, deputado Sibá Machado (AC), que elogiou o trabalho do antecessor de Temer, Pepe Vargas. Já a líder do PCdoB, deputada Jandira Feghali (RJ), avaliou que a indicação de Temer vai melhorar a governabilidade.
Na avaliação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, Temer é o “melhor quadro” que o governo tem de articulação política. “Acho que ele já deveria ter sido utilizado há mais tempo. Não necessariamente sendo chefe da articulação, mas ele era muito pouco demandado.”
Cunha disse ainda que a nomeação de Temer não vai alterar o ritmo de trabalho da Câmara. "A Casa vai continuar votando o que tem que votar." (Com a Agência Câmara de Notícias)

►PETROBRÁS VAI DEVOLVER ÁREAS DE REFINARIAS
A decisão da Petrobras de cancelar a construção das refinarias no Maranhão e no Ceará não tem relação com os efeitos da Operação Lava Jato, que investiga corrupção na companhia, e foi motivada apenas por fatores econômicos. A afirmação foi feita nesta quarta-feira (8), em audiência pública, pelo diretor de Abastecimento da estatal, Jorge Celestino Ramos, em resposta à pergunta da deputada Eliziane Gama (PPS-MA). A deputada é coordenadora da comissão externa da Câmara dos Deputados que analisa a suspensão dos dois investimentos.
De acordo com Ramos, o cancelamento dos dois projetos, anunciado em janeiro passado, foi motivado por três fatores: a queda dos preços do mercado mundial de petróleo e refinados, que reduziu as “margens de refino” (retorno financeiro, descontado o custo das matérias-primas) e tirou a atratividade dos empreendimentos; a desistência da companhia petroquímica chinesa Sinopec, que estava negociando participação nas unidades; e a necessidade da empresa de preservar seu caixa.
Durante a audiência pública, Ramos afirmou que o prejuízo já declarado com o cancelamento da obra do Maranhão, de cerca de R$ 2,1 bilhões, representa entre 1% e 2% do custo global da unidade. No total, a companhia declarou, em comunicado ao mercado, perdas de R$ 2,7 bilhões com o encerramento dos dois projetos, que se destinavam à produção de refinados como óleo diesel, gás de cozinha e querosene de aviação.
O prejuízo refere-se principalmente aos projetos e às obras de terraplenagem realizadas nos terrenos cedidos pelos governos estaduais para as usinas, que ficam nas cidades de Bacabeira (MA) e Caucaia (CE).
Ramos disse que a Petrobras está negociando com os governos dos estados do Ceará e Maranhão a devolução dos terrenos e cancelando convênios que haviam sido firmados. A negociação, segundo ele, é uma exigência da legislação, pois a empresa precisa dar baixa nos ativos que não usará mais.
Segundo ele, os estados não foram avisados com antecedência porque a legislação das sociedades anônimas exige que o mercado seja informado em primeiro lugar. Isso foi feito por meio de um Fato Relevante divulgado em janeiro. "A gente entende que essa não foi a melhor forma de discutir o assunto", reconheceu Ramos, após questionamento do deputado Weverton Rocha (PDT-MA).
Apesar da explicação, a decisão da estatal de não informar previamente os governos foi criticada pelo deputado Pedro Fernandes (PTB-MA). "Isso é história para boi dormir. Ou o projeto foi mal pensado, aí a Petrobras se corrige cancelando, ou [a suspensão] foi de uma irresponsabilidade muito grande. O cancelamento dos projetos foi na calada da noite”, disse Fernandes, que decidiu sair da reunião em protesto contra as palavras do diretor da Petrobras.
Na próxima quarta-feira (15), a comissão externa vai realizar uma nova audiência pública, desta vez para ouvir o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga. O convite para ele ainda será formulado. Na próxima sexta (17), o colegiado deverá visitar a cidade de Bacabeira, onde seria instalada a unidade maranhense.

►UM PARAÍSO FISCAL CHAMADO SUÍÇA
Na audiência realizada nesta manhã (9) pela CPI do HSBC com o ex-secretário da Receita Federal, Everardo Maciel, o relator, senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), informou que irá convidar o embaixador suíço no Brasil, André Regli, para comparecer à comissão. Ferraço admite que o embaixador pode se valer da imunidade diplomática para não comparecer, mas disse que essa pode ser uma oportunidade para que o país europeu não seja associado a crimes tributários.
A ideia surgiu a partir do questionamento de Ferraço sobre se seria viável a diplomacia brasileira investir em um acordo com o país europeu. Com base em sua experiência na Receita, Everardo Maciel não acredita que esforços nessa direção produzam resultados práticos.
— A Suíça é o mais antigo paraíso fiscal do mundo, transformaram isto num ativo. Tem até um livro famoso, chamado A Suíça lava mais branco, lançado por um ex-deputado daquele país, Jean Ziegler, e que provocou enorme polêmica — lembrou Everardo Maciel.
O ex-secretário afirmou ainda que existe uma conivência de setores financeiros norte-americanos, ingleses e de outros países industrializados com os paraísos fiscais. Afirma que eles só existem devido à "falta de responsabilidade social e moral" desses setores.
Everardo sugeriu que o prazo de prescrição para a investigação de crimes tributários se dê a partir do momento em que a Receite tome conhecimento do fato.
— Caso contrário, existe o risco concreto de o Fisco ser utilizado por criminosos para lavarem dinheiro — disse Everardo, fazendo alusão ao mecanismo legal que prevê que a Receita tem cinco anos para iniciar procedimentos em relação a movimentações financeiras.
O ex-secretário afirmou ainda "não ter dúvidas" de que o mesmo procedimento adotado pelo HSBC em Genebra também seja utilizado por instituições bancárias em países próximos, como Luxemburgo, Mônaco e Liechtenstein.

►ASSESSOR DERRUBADO PELOS RATOS
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), determinou a exoneração do servidor da Casa que soltou ratos hoje (9), no plenário da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras.
O tumulto ocorreu antes do depoimento do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. A informação foi dada no plenário pelo presidente da CPI da Petrobras, deputado Hugo Motta (PMDB-PB).
“O presidente [da Câmara, Eduardo Cunha] já demitiu sumariamente o servidor que causou o problema no início de nossa reunião. O servidor está demitido, e será punido na forma da lei. Vamos cobrar que providências sejam tomadas”, disse Motta.
Segundo o presidente da CPI, o servidor comissionado Márcio Martins de Oliveira era lotado na segunda vice-presidência da Câmara, controlada pelo deputado Fernando Giacobo (PR-RR).
Os ratos foram soltos no plenário logo após a chegada de Vaccari na CPI. Após o incidente, o relator da CPI da Petrobras, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), disse que o episódio foi uma “ação encomendada” e um “circo armado” que depõe contra o Parlamento brasileiro.

►RISCO BRASIL CONTINUA ALTO
A agência de classificação de risco Fitch manteve a nota de crédito do Brasil em BBB, mas revisou a perspectiva do país de estável para negativa. A mudança, segundo comunicado da Fitch, divulgado hoje, ocorreu em razão do "contínuo fraco desempenho da economia brasileira, o aumento dos desequilíbrios macroeconómicos, a deterioração fiscal e um aumento da dívida pública com pressão sobre o perfil de crédito soberano do país".
A nota (rating) é a classificação dada a empresas públicas ou privadas por essas instituições especializadas em análise de crédito. Essas agências – equivalente ao SPC no Brasil – avaliam a capacidade e a disposição do emissor de um título em honrar, pontual e integralmente, os pagamentos de sua dívida. O rating é um indicador relevante para os investidores, uma vez que fornece sinalização a respeito do risco de crédito da dívida de uma empresa ou país analisado.
Para a Fitch, enquanto o governo iniciou um processo de ajustes para aumentar a credibilidade e a confiança, riscos negativos relacionados com a aplicação e durabilidade persistem, “especialmente no contexto de um ambiente político e económico desafiador”. E acrescenta: “Choques internos e externos adicionais poderiam minar o ritmo e o alcance do processo de ajuste”.
Na avaliação da Fitch, entre outros motivos, as contas fiscais do Brasil se deterioraram acentuadamente em relação ao ano passado, com o déficit atingindo 6,5% do PIB, sendo este “o primeiro déficit primário em vários anos.” E observa: “A relação da dívida com o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou para 58,9% em 2014, em comparação com a média de 52,8% durante o período 2010-2013”.
Os técnicos, entre outras avaliações, levaram em conta o crescimento da economia brasileira de apenas 0,1% em 2014. Segundo a Fitch, o processo de ajuste em curso, se efetivamente implementado, poderia levar a uma retomada da confiança e do crescimento em 2016, mas o crescimento provavelmente permanecerá baixo. O Ministério da Fazenda não se manifestou sobre o comunicado da Fitch. (Com Agência Brasil).

►LAVA JATO CHEGA EM ANGRA
A Operação Lava Jato, que prendeu executivos das maiores empreiteiras do Brasil acusados de corrupção na Petrobras, chega finalmente ao setor elétrico. Investigadores apuram contratos da montagem eletromecânica da terceira usina do Complexo Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis (RJ) - a Angra 3.
A suspeita é de atuação do esquema no edital publicado pela Eletrobras Eletronuclear originalmente em agosto de 2011. Na época, apenas dois consórcios foram habilitados: o UNA 3 (formado pelas empresas Odebrecht, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e UTC) e o Angra 3 (composto por Queiroz Galvão, uma subsidiária do grupo MPE e Techint). Das 12 empresas participantes da licitação, 11 foram citadas na Lava Jato. 

► CARTÃO DE CRÉDITO: JUROS DE 290,43%
A taxa média dos juros do cartão de crédito atingiu 290,43% ao ano, segundo pesquisa divulgada hoje (9) pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).  O percentual reflete o aumento das taxas, que, em fevereiro, eram 11,67% ao mês e subiram para 12,02% em março. Em fevereiro, a taxa média do cartão de crédito era 276,04% ao ano.
Os juros do cartão de crédito acompanharam as outras cinco modalidades pesquisadas pela associação. Elas também tiveram aumento de fevereiro para março. A taxa média para pessoa física subiu 0,11 ponto percentual, alcançando 6,6% ao mês (115,32% ao ano). Para pessoa jurídica, a taxa média subiu 0,16 ponto percentual, chegando a 3,73% ao mês em março (55,19% ao ano).
A Anefac atribui a alta dos juros ao cenário econômico adverso desde 2014, que aumenta a projeção de inadimplência a partir do crescimento da inflação e desemprego.
“As expectativas para 2015 são igualmente negativas, o que leva as instituições financeiras a aumentarem suas taxas de juros para compensar prováveis perdas com a elevação da inadimplência", ressaltou o diretor executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Anefac, Miguel José Ribeiro de Oliveira

►PROCON VAI Á JUSTIÇA CONTRA A ELETROLUX
O Procon Estadual, órgão da Secretaria Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor, entrou com uma ação civil pública na 1ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça contra a Electrolux e as redes Via Varejo (Casas Bahia, Ponto Frio e Nova Pontocom) e Ricardo Eletro. A ação requer liminar que obrigue as empresas citadas a garantir ao consumidor o direito à substituição de refrigeradores que apresentam defeitos, à devolução do dinheiro ou ao abatimento do valor pago na compra de outro produto, conforme é determinado pela legislação em vigor em situações envolvendo produtos essenciais, como geladeiras. Caso o pedido de liminar seja acatado, as empresas terão que cumprir essa determinação antes mesmo do julgamento da ação ou pagar uma multa diária de R$ 50 mil. 
O órgão estadual de defesa do consumidor verificou que as geladeiras fabricadas pela Electrolux vêm apresentando problemas constantes, como refrigeradores que não gelam ou que gelam demais - a ponto de congelar os alimentos -, e defeitos elétricos. Também foram constatadas dificuldades na assistência técnica, como falta de peças de reposição. Muitos consumidores também reclamam da má qualidade do serviço prestado pelas oficinas indicadas pela Electrolux. 
As redes Ricardo Eletro e Via Varejo foram citadas na ação por estarem se recusando a trocar o produto, mesmo se tratando de um bem essencial, o que, de acordo com o parágrafo 1° do art.18 do Código de Defesa do Consumidor, deveria eliminar o prazo de 30 dias para conserto, recebendo seu dinheiro de volta ou uma nova geladeira de qualidade igual ou superior.    
A ação (0114991-59.2015.8.19.0001) também pede para que a Justiça obrigue a Elecrolux a melhorar a qualidade das geladeiras, comprovando as mudanças por meio de relatórios semestrais. Em caso de descumprimento, o Procon Estadual pede a aplicação de uma multa diária de R$ 50 mil para a Electrolux, a Via Varejo e a Ricardo Eletro. As três empresas também deverão indenizar, da maneira mais ampla e completa possível, os danos morais e materiais causados aos consumidores.

►CAEM AS VENDAS DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO
As vendas de materiais de construção sofreram queda de 5,4% em março, na comparação com o mesmo mês em 2014, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). Em relação a fevereiro deste ano, houve alta de 3,2%.
No acumulado no primeiro trimestre deste ano, o setor apresentou queda de 8,8% em relação ao mesmo período do ano passado. O acumulado dos últimos 12 meses registra queda de 7,7%.
“As vendas neste primeiro trimestre continuam baixas refletindo, principalmente, a forte queda na atividade das construtoras, tanto no segmento imobiliário quanto nas obras de infraestrutura. O segmento do varejo continua positivo, mas não o suficiente para neutralizar a perda de vendas em outros segmentos”, avalia o presidente da Abramat, Walter Cover.
A expectativa de crescimento do setor para 2015 é 1%, apoiada na manutenção dos atuais incentivos do governo, como a desoneração da folha de pagamentos, a expansão dos investimentos em concessões e a terceira fase do Programa Minha Casa, Minha Vida.

►DESEMPREGO CHEGA A 7,7%
A taxa de desemprego no país subiu para 7,4% nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro, informou hoje (9) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa revela aumento da desocupação na comparação com o trimestre anterior (setembro, outubro, novembro), quando era 6,5%. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), o desemprego no trimestre encerrado em fevereiro também está acima do índice do mesmo trimestre do ano anterior (6,8%) e é o maior indicador desde o período de março, abril e maio de 2013 (7,6%).
A Pnad Contínua se destina a produzir informações sobre a inserção da população no mercado de trabalho. Leva em conta as características demográficas e de educação, e também o desenvolvimento socioeconômico do país. A pesquisa é feita por meio de uma amostra de domicílios, de forma a garantir a representatividade dos resultados para os diversos níveis geográficos definidos para sua divulgação. A cada trimestre, são investigados 211.344 domicílios particulares permanentes, em aproximadamente 16 mil setores existentes no censo, distribuídos em cerca de 3,5 mil municípios.
No período, o IBGE contabilizou 7,4 milhões de pessoas desocupadas, alta de quase 1 milhão de pessoas (14,7%) na comparação com o quantitativo de desempregados entre setembro e novembro de 2014, que era 6,5 milhões de trabalhadores.
Por outro lado, a pesquisa verificou que o rendimento médio do brasileiro cresceu 1,1%, subindo de R$ 1.793 no trimestre fechado em novembro para R$ 1.817 nos três meses seguintes. O montante subiu ainda 0,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior, descontada a inflação.
A massa de rendimento real habitualmente recebida para todos os trabalhos cresceu para R$ 162 bilhões, o que revela aumento de 2,2% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Na comparação com trimestre encerrado em novembro, o aumento foi 0,7%.
Para analisar o desemprego no país, o IBGE também elabora a Pesquisa Mensal do Emprego (PME). Na última divulgação, o dado registrou alta de 5,9% do desemprego no mês de fevereiro deste ano – a maior taxa desde junho de 2013. Por abranger menos regiões, a PME está sendo substituída pela Pnad Contínua, que coleta dados em 3.464 municípios.
  
►DILMA ENTREGA 500 CASAS EM CAXIAS
Quinhentas famílias ganharam, nesta quinta-feira (9), novos apartamentos em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O empreendimento do programa Minha Casa Minha Vida, que contou com a parceria do Governo do Estado, recebeu investimento de R$ 31,4 milhões. As unidades do Residencial Volterra vão beneficiar pessoas que viviam em palafitas fincadas às margens do Rio Sarapuí, próximo à estação ferroviária de Gramacho. 
– Temos o grande desafio de melhorar as condições de vida da população da Baixada Fluminense. E a moradia, entre todas as infraestruturas, tem um sentido muito especial. Ter uma moradia digna é oferecer proteção para a família, crianças e jovens – afirmou a presidente Dilma Rousseff.  A cerimônia contou com a presença do governador Luiz Fernando Pezão e do prefeito Alexandre Cardoso.
Localizado no bairro Nossa Senhora do Carmo, próximo à divisa com Belford Roxo, o condomínio conta com moradias de 45 metros quadrados, com dois quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço. O conjunto habitacional tem ainda playground, campo de futebol e centro comunitário. 
– Estas famílias terão mais do que um lar, terão cidadania e dignidade. A Baixada tem se beneficiado muito com o Minha Casa Minha Vida. Milhares de famílias estão sendo contempladas nesta região – disse o governador Luiz Fernando Pezão.
A entrega dos 500 apartamentos contou com a participação do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), da Secretaria do Ambiente, que ficou responsável pelo cadastramento das famílias, além de participar da seleção dos moradores junto à Caixa Econômica Federal. 
O reassentamento de famílias que vivem em áreas com risco de inundação integra o Projeto Iguaçu, que é desenvolvido pelo Inea e tem recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A iniciativa ajuda a evitar enchentes, recuperar o meio ambiente e urbanizar áreas ribeirinhas dos rios Iguaçu, Botas e Sarapuí, na Baixada.
A balconista Rogéria de Souza, de 18 anos, aprovou a obra. Ela está ansiosa para morar com a família em uma das unidades. 
– O apartamento é bonito e organizado. Aqui, não terei problema com enchentes. Será vida nova – disse a balconista. 
A jovem Rafaela Silva, de 20 anos, também comemorou a entrega dos apartamentos. A atendente de padaria morava em área de risco. 
– Estou feliz. Onde vivia, quando chovia era muito perigoso. Aqui, me sinto segura e terei mais qualidade de vida – afirmou a jovem. 
O programa Minha Casa Minha Vida já entregou no Estado do Rio 86.269 unidades, beneficiando 345 mil pessoas. Em Duque de Caxias, mais de 15 mil já foram contempladas com a entrega de 3.791 unidades habitacionais.

►MAMÓGRAFO CONTINUARÁ EM XERÉM

Até o dia 22 de abril a unidade de mamógrafo móvel da secretaria estadual de Saúde, estará atendendo mulheres de Duque de Caxias e cidades da Baixada Fluminense na Unidade Pré-Hospitalar (UPH), de Xerém. 
Para ajudar as mulheres que necessitam do exame e não têm encaminhamento, a secretaria municipal de Saúde manterá no local até o dia 17, seu trailer da Saúde com um médico ginecologia do Programa da Mulher, para avaliação de interessadas na faixa etária de 40 a 69 anos. Se for necessário o exame, a mulher receberá na hora o encaminhamento para mamografia. O atendimento é feito das 9h às 12h. Excepcionalmente esse atendimento não será realizado nesta sexta-feira (10/04). 
Para realizar o exame de mamografia é necessário o encaminhamento de um médico da rede municipal de Saúde da Baixada ou da Central de Regulação do Estado. O atendimento é feito de segunda a sexta-feira das 8h às 18h, e aos sábados e feriados das 8h às 15h. No local também está sendo realizado exame de ultrassonografia e biópsia. O atendimento as mulheres de Duque de Caxias é o resultado de uma parceria entre o governo do estado e a prefeitura. Este é o segundo ano consecutivo que a unidade vem para o município. Diariamente serão realizadas 80 mamografias. Os exames duram em média cerca de 20 minutos.
O resultado não é fornecido no mesmo dia. As pacientes serão informadas quando receberão o resultado do exame que demora de dez a 15 dias. Os pacientes que forem a UPH de Xerém com o pedido de exame devem apresentar um documento de identidade (Identidade e CPF), comprovante de residência e cartão do SUS de possuir. Quem não tiver o pedido de exame deve se dirigir ao trailer da Saúde, estacionado no mesmo local.

Postar um comentário