quinta-feira, 9 de abril de 2015

SENADO ARQUIVA PEDIDO DE
CPI DOS FUNDOS DE PENSÃO
 Os funcionários dos Correios, contribuintes compulsórios do Fundo Postalis, que sofrerão um desconto compulsório de 25% de seus salários, durante 15 anos e meio, para cobrir o rombo de mais de R$ 5,6 bulhões na administração do seu patrimônio, tem razão de sobra para se arrepender de terem votados em seis senadores que retiraram suas assinaturas e provocaram o arquivamento do pedido de formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar os desmandos de gestores desses fundos, cujos recursos foram usados para socorrer empresas e instituições em dificuldades financeiras, como a Universidade Gama Filho, que recebeu um aporte de R$ 100 milhões divididos entre os fundos Postalis, dos funcionários dos Correios, e do Petros, do pessoal da Petrobrás.
O Postalis perdeu R$ 50 milhões
na falência da Gama Filho
Como garantia desse empréstimo, os gestores dos dois fundos receberam recebíveis dos cerca de 5 mil alunos da Faculdade de Medicina da Fama Filho. Pouco tempo depois da transação, a instituição foi vendia para um grupo de S. Paulo e os alunos foram transferidos para outras universidades, transformando em pó as garantias dadas pelos R$ 100 milhões emprestados pelos fundos.
O arquivamento dessa CPI foi consequência da retirada da das assinaturas dos senadores Ivo Cassol (PP-RO), e de cinco integrantes da bancada do PSB: Romário (RJ), Lídice da Mata (BA), Roberto Rocha (MA), João Capiberibe (AP) e Fernando Bezerra Coelho (PE). Os pedidos de exclusão eram permitidos até meia noite da quarta-feira (8), ao fim do mesmo dia da leitura do requerimento em Plenário.
Ao protocolar o pedido, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) comentou que somente a Previ teve prejuízo de R$ 7,8 bilhões em 2014. De acordo com o senador, o resultado negativo pode ser atribuído às aplicações temerárias feitas pelos fundos de pensão.— Fala-se até em aplicação de recursos desses fundos de pensão em títulos da dívida pública da Venezuela, para se ver a que ponto chega a temeridade na aplicação desses recursos. Mais da metade dos prejuízos contabilizados pela chamada indústria dos fundos de pensão provém exatamente de operações prejudiciais desses fundos do âmbito das empresas estatais — disse. (Com Agência Senado).
Postar um comentário