segunda-feira, 25 de maio de 2015

LINDBERGH: O AJUSTE FISCAL
COMPROMETE O “LULA 2018”
 O senador petista Lindbergh Farias voltou a criticar o ajuste fiscal do governo Dilma Rousseff e disse que até a candidatura de Lula a presidente em 2018 estará comprometida, se não houver mudanças na estratégia para que o país volte a crescer. Muito ligado a Lula, o ex-prefeito de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, não perdoa a presidente Dilma Rousseff por ter optado pelo candidato Luiz Fernando Pezão, do PMDB.
“Decidimos dar um passo à frente e dizer que, para o governo dar certo, tem que mudar o rumo da política econômica (...) As políticas fiscal e monetária estão levando o país a uma recessão, mistura explosiva, que pode ser mortal para o nosso projeto de país”, disse em entrevista ao Valor.
Ele afirmou ainda que a decisão do governo de elevar a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) dos bancos se deve à pressão deflagrada pelo grupo de parlamentares governistas contra o ajuste de Joaquim Levy e disse que virão novas medidas “de tributação progressiva do andar de cima”.
Segundo Lindbergh, no manifesto que pede mudança da política econômica tem participação de ex-ministros do Lula, como Samuel Pinheiro Guimarães, José Gomes Temporão e Tarso Genro, e o ex-presidente da Caixa Econômica Federal (CEF) Jorge Mattoso, este último envolvido no escândalo da ”Casa Rosada”, em que o sigilo bancário de um caseiro foi quebrado para tentar salvar a reputação do então Ministro da Fazenda e chefe de Mattoso, Antônio Palocci.  Leia a entrevista completa no endereço
Postar um comentário