quinta-feira, 28 de maio de 2015

SÓ EMPREGADOS E DIRETORES
TIVERAM LUCRO NA PETROBRAS
Mesmo com prejuízo de R$ 21,6 bilhões em 2014, e sem pagar dividendos para os acionistas, a Petrobras irá repassar aos funcionários R$ 1,04 bilhão referente à participação de resultados.  A informação é da FUP (Federação Única dos Petroleiros). A data do pagamento foi informada pela empresa à FUP na quarta-feira (27), De acordo com documento da Petrobras enviado à entidade após deliberação da assembleia geral da empresa na segunda-feira (25), como não houve lucro será paga metade da remuneração do empregado somada à metade do menor valor pago na Participação da Resultados do exercício anterior.

Segundo a Folha Online, o pagamento é feito com base no acordo coletivo com os funcionários, que mantém essa remuneração mesmo quando não há lucro.
As datas de pagamento informadas pela Petrobrás são 10 de junho, para membros de sindicatos que assinarem o acordo até o dia 1º de junho, e 17 de junho, para os que assinarem até 8 de junho.
A perda da Petrobras em 2014 foi decorrente, principalmente, da baixa de R$ 6,2 bilhões atribuída à corrupção, R$ 44,6 bilhões referentes à reavaliação de ativos e R$ 2,8 bilhões a baixas pela desistência de construir as refinarias Premium 1 e 2, no Maranhão e no Ceará, que estavam na fase inicial de implantação.
Na assembleia do dia 22, muitos acionistas minoritários reclamaram da decisão de não haver repasse de dividendos, alegando que havia recursos em contas de reserva de lucros de anos anteriores.
Representantes da empresa justificaram, porém, que o valor era meramente contábil, e que investimentos haviam sido feitos com os recursos.
A nota da FUP divulgada na quarta-feira destaca esse dado, e afirma que "acionistas choram por dividendos".
Dois fundos de investimento haviam anteriormente pedido à CVM a suspensão da assembleia e pediram que a autarquia analisasse a proposta de não pagamento de remuneração aos acionistas.
Procurada, a Petrobras não respondeu aos questionamentos da reportagem até o fechamento da notícia (Com Folha de S. Paulo)

►REFINARIAS R$ 3 BILHÕES MAIS CARAS
No depoimento à Polícia Federal, Othon Moraes Filho, do grupo Queiroz Galvão, listou quem na empresa participava da distribuição de “doações” a partidos investigados na Lava Jato. Fontes da investigação acreditam que um dos citados, André Gustavo Pereira, vice-presidente da Queiroz Galvão, seria o responsável pelos famosos “aditivos” que teriam acrescentado cerca de R$ 3 bilhões ao valor dos contratos com a Petrobras, nas obras das refinarias Abreu e Lima (PE) e Comperj.
A revelação foi festa nesta quinta-feira (28) pelo blog do jornalista Claudio Humberto, que esclarece ainda que a força-tarefa da Lava Jato consolidou o entendimento de que “doações” eleitorais para partidos e políticos não passam de propina.
Em nota, a Queiroz Galvão nega que Othon Moraes tenha confirmado pagamento de propina, mas apenas de “doações”.
À PF, ressalta a Queiroz Galvão, o diretor não afirmou que a empresa fez pagamento ilícito para obtenção de contratos e vantagens.
Em seu depoimento à PF, Othon destacou doações de até 2% do faturamento da empresa, que alega ser o limite fixado na legislação.

►EX AMEAÇA CONTAR TUDO
A Polícia Federal apreendeu durante a Operação Lava Jato, que investiga um esquema de corrupção dentro da Petrobras, uma carta de autoria de uma ex-amante do empreiteiro Ricardo Ribeiro Pessoa, da UTC. No documento, a mulher identificada como Mônica Santos – 46 anos - promete “entregar” pessoas ligadas ao doleiro Alberto Youssef caso não seja recompensada com R$ 1,55 milhão. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Pessoa já havia narrado ameaças como a da ex-amante em depoimento que prestou à PF após a sua prisão, no dia 14 de novembro. Segundo o empreiteiro, ele teve um “breve relacionamento” com Mônica há 22 anos. De acordo com Pessoa, a mulher passou a “lhe importunar” em 2012.
O empresário usou o doleiro para pagar R$ 800 mil para a mulher, mas Mônica voltou a procurálo e a ameaçá-lo. Na carta, ela diz estar “apavorada” com ligações não identificadas, com medo de ser presa pela Polícia Federal. "Sinto-me ameaçada e, do jeito que (a PF e Receita Federal) estão fiscalizando, se vierem para cima de mim, entrego quem conheço e mantém negócios com Alberto Youssef e seus amigos com os devidos endereços", disse na carta, que foi apreendida no apartamento de Pessoa, em São Paulo.
"Não estou lhe extorquindo e não tenho medo de suas ameaças", disse a ex-amante, que orientou o empresário a enviar R$ 1,55 milhão em caixas a serem entregues a uma empresa de guarda-volumes em Ribeirão Preto. A Polícia suspeita que a carta tenha sido escrita entre julho e outubro deste ano.
O jornal não conseguiu localiza Mônica e a UTC afirmou que "o assunto já foi explicado nos depoimentos prestados à Justiça".

►VACCARI TAMBÉM PODE ABRIR O BICO
O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, que está preso em Curitiba, deixou a direção do partido em pânico. Sentindo-se “abandonado”, ameaça fazer acordo de delação premiada e revelar à Justiça o papel da “cumpanherada” no assalto à Petrobras. Ligado a Lula, de quem é homem de confiança, Vaccari mandou recados exigindo “postura firme” do partido em sua defesa, inclusive fazendo pressão no Judiciário.
Segundo o blog do Claudio Humberto, familiares e amigos próximos se dizem preocupados com informações sobre o “estado depressivo” do petista, na cadeia.
Vaccari tem muito a revelar: segundo o ex-gerente Pedro Barusco, o PT recebeu até R$ 200 milhões de propina, entre 2003 e 2013.
João Vaccari anda preocupado com a situação da família, inclusive da cunhada que chegou a ser presa. Ele exige imunidade para todos eles.
Ex-ministro que frequenta o Instituto Lula diz que preocupa mais o ex-presidente a delação do seu amigo empreiteiro Ricardo Pessoa, dono da UTC, do que as ameaças de outro amigo, João Vaccari Neto.


►GOVERNO PREVÉ PIB DE 1% EM 2016
O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, revelou nesta quarta (27) uma estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos em um país) diferente da que constava da proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016, enviada ao Congresso em abril deste ano. O ministro apresentou projeções revistas do cenário econômico, que preveem que o PIB crescerá 1%, e não mais 1,3%, como havia sido calculado.
Outra mudança nas projeções diz respeito ao salário mínimo - que deveria chegar a R$ 854 no ano que vem. O valor foi elevado em R$ 1, para R$ 855. Atualmente, o salário mínimo é R$ 788. As demais projeções da proposta da LDO de 2016 são inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 5,6%. A Selic, taxa básica de juros da economia, deve ficar em 11,5% ao ano. O câmbio foi projetado em R$ 3,30. Para 2015, as previsões são queda de 1,2% do PIB, IPCA em 8,26% e Selic em 13,25%. O câmbio, para a equipe econômica, encerrará este ano cotado a R$ 3,22.

► MAIS DESEMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL
O nível de emprego na construção caiu em abril 0,78% em comparação ao mês anterior, com saldo negativo – entre demissões e contratações – de 25,4 mil trabalhadores com carteira assinada. Os dados foram divulgados hoje (28) pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do estado de São Paulo (SindusCon-SP). Segundo o sindicato, o nível de emprego vem caindo consecutivamente há 14 meses.
No acumulado do ano, o saldo negativo de trabalhadores com carteira assinada na área de construção alcançou 279,6 mil vagas, queda de 7,89% na comparação ao mesmo período do ano passado. Com isso, ao final de abril o número de trabalhadores no setor somou 3,228 milhões, queda de 9,21% em relação ao mesmo mês do ano passado.
Para José Romeu Ferraz Neto, presidente do SindusCon-SP, as demissões no setor já eram aguardadas por causa da recessão nos segmentos imobiliário, de infraestrutura e de habitação popular. “E as expectativas não melhoraram após o anúncio dos cortes no orçamento. Ao contrário: reduziram-se ainda mais os investimentos do governo no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e no Minha Casa, Minha Vida, bem como em outros ministérios, o que diminuirá o volume geral de obras e consequentemente provocará novas demissões”.
Em abril, houve queda em todos os segmentos. Nos segmentos imobiliário e de infraestrutura, que empregam 55% das pessoas do setor de construção, por exemplo, a retração foi de 10,49% e 14,31% em comparação a abril do ano passado, respectivamente. Segundo o sindicato, a queda pode ser atribuída ao fim do ciclo da construção imobiliária iniciada em 2010 e aos cortes de investimentos em obras de infraestrutura.
No estado de São Paulo, o nível de emprego em abril apresentou estabilidade em relação a março, com queda de 0,07% e um saldo negativo de 623 trabalhadores. Ao final de abril, o número de trabalhadores do setor totalizava 837,1 milhões.

► INFLAÇÃO E DESEMPREGO EM ALTA
A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nesta quarta (27) que o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) de maio ficou praticamente estável em relação a abril, com 98,7 pontos. O resultado mantém o índice no menor valor desde junho de 2001, informou a confederação.
Na pesquisa, o indicador de expectativa de inflação aumentou 3,1% e o de expectativa de desemprego subiu 2,7% na comparação com abril. De acordo com a metodologia utilizada pela CNI, a alta dos dois indicadores mostra que subiu o número de pessoas que espera mais inflação e desemprego nos próximos seis meses.
A pesquisa mostra ainda que a população tem uma avaliação mais negativa da situação financeira e pretende reduzir as compras de maior valor. O indicador de situação financeira caiu 1% e o de compras de maior valor recuou 4,4% em relação a abril.
Feita em parceria com o Ibope Inteligência, esta edição do Inec ouviu 2.002 pessoas em 141 municípios, entre os dias 14 e 18 deste mês.

►FAT RECEBE R$ 13,8 BILHÕES DO TESOURO
O Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) teve resultado nominal positivo de R$ 851,2 milhões em 2014, de acordo com o balanço divulgado nesta quarta (27) pelo Conselho Deliberativo do FAT. A arrecadação do FAT assegura o pagamento do Seguro-Desemprego e do Abono Salarial. Para fechar as contas, no entanto, o FAT recebeu uma injeção de R$ 13,8 bilhões do Tesouro Nacional. Enquanto, isso, o governo corta R$ 69,9 bilhões do orçamento, afetando projetos importantes como o PAC e o Prouni,
O valor recebido foi mais do que o dobro de 2013, quando o FAT recebeu R$ 4,8 bilhões em repasses do Tesouro Nacional. 
No final do ano passado, auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), identificou ameaça à sustentabilidade do FAT. O TCU estimou um aporte do Tesouro de R$ 12,37 bilhões para 2014. O valor foi superado.
Já com o aporte do Tesouro, no total, o fundo arrecadou R$ 70,1 bilhões e gastou R$ 69,2 bilhões. Os gastos foram distribuídos da seguinte maneira: R$ 35,9 bilhões em Seguro-Desemprego e R$ 15,9 bilhões em Abono Salarial. Foram feitos também repasses que totalizaram R$ 16,9 bilhões em empréstimos ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
O fundo arrecadou em 2014 R$ 43,1 bilhões com as contribuições PIS/PASEP - já deduzido R$ 10.7 milhões da Desvinculação de Receitas da União (DRU) - e R$ 12.6 bilhões provenientes de remunerações, além dos R$ 13,8 bilhões do Tesouro.
Segundo o balanço divulgado, durante os últimos cinco exercícios, entre 2010 e 2014, o FAT registrou taxa média de crescimento nominal de 15,68% ao ano em suas receitas. Em relação aos gastos, houve um aumento médio anual de 13,88% com pagamento de benefícios do seguro-desemprego e do abono salarial.

►INADIMPLÊNCIA DE EMPRESAS SOB 12,1%
A inadimplência das empresas subiu 12,1% no acumulado de janeiro a abril, em relação ao mesmo período de 2014, segundo índice divulgado hoje (28) pela Serasa Experian. Na comparação entre abril de 2015 e o mesmo mês do ano passado, a alta também foi de 12,1%. A inadimplência de abril, no entanto, recuou 5,8% na comparação com o índice de março.
A queda foi puxada pela redução de 18% nos títulos protestados e pela queda de 7,1% no número de cheques sem fundo. Também houve recuo de 0,5% nas dívidas não bancárias em atraso, que incluem contas de energia, luz e dívidas em lojas. O único grupo que teve alta (2,2%) foi dívidas bancárias.
Segundo a Serasa, o crescimento da inadimplência em 2015 está relacionado ao quadro recessivo da economia. “[o índice de inadimplência deve-se] ao atual quadro recessivo da economia brasileira, prejudicando a geração de caixa das empresas, e à alta dos juros, encarecendo o custo financeiro para as empresas”, ressalta o comunicado da consultoria.
Sobre a queda em março, a Serasa atribui ao menor número de dias úteis, foram 22 em março contra 20 em abril.

►CAI 30,7% O NUMERO DE FUMANTES
Dados da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2014 indicam que 10,8% dos brasileiros mantêm o hábito de fumar. O índice é maior entre os homens - 12,8% contra 9% entre as mulheres. Os números, divulgados hoje (28) pelo Ministério da Saúde, representam uma queda de 30,7% no total de fumantes no país nos últimos nove anos.
Ainda de acordo com o estudo, o consumo de cigarros no Brasil é maior na faixa entre 45 anos e 54 anos de idade (13,2%) e menor entre jovens com idade entre 18 anos e 24 anos (7,8%).
Os homens fumam mais nas cidades de Porto Alegre (17,9%), Belo Horizonte (16,2%) e Cuiabá (15,6%) e as mulheres, em Porto Alegre (15,1%), São Paulo (13%) e Curitiba (15,6%). O tabagismo é menos frequente em Fortaleza (8,6%), Salvador (9%) e São Luís (9,3%) entre os homens e em São Luís (2,5%), Palmas (3%) e Teresina (3,1%) entre as mulheres.
O ministro da Saúde, Arthur Chioro, avaliou como expressiva a redução de 30% no número de fumantes nos últimos nove anos. "Há 20 anos, mais de um terço da população adulta no Brasil fazia uso do tabaco. Tivemos uma expressiva resposta do Brasil", disse. "Não se trata de coibir a liberdade, mas de ter uma política pública", completou.
A pasta alerta que o tabagismo é responsável por 200 mil mortes todos os anos no Brasil - 25% delas por angina e infarto do miocárdio, 45% por infarto agudo do miocárdio (abaixo de 65 anos) e 85% das mortes por bronquite e enfisema pulmonar.
O hábito também responde por 90% dos casos de câncer de pulmão no país, sendo que, entre o restante, um terço é fumante passivo. Esse tipo de tumor é considerado o mais letal e umas das principais causas de morte no Brasil.
A estimativa do governo é que 27.330 novos casos de câncer de pulmão sejam registrados no país este ano.

►UM DIA SEM TABACO EM CAXIAS
A secretaria municipal de Saúde mantém o programa de tabagismo em quatro unidades para tratamento e acompanhamento de pacientes. Nesta quinta-feira (28), na UPA Beira Mar – Unidade de Pronto Atendimento que funciona junto ao Hospital Municipal Dr. Moacyr do Carmo - o Dia Mundial sem Tabaco (31 de maio), foi lembrado com campanha de conscientização sobre o tabagismo, relacionado a mais de 50 doenças.

Durante a manhã pessoas que procuravam atendimento na UPA e acompanhantes procuraram a tenda da SMS no intuito de abandonar o vício do cigarro. Os interessados fizeram o Teste de Fagerstrom, informando quando fuma o primeiro cigarro após acordar, se traz satisfação, quantos cigarros fuma por dia e se fuma mesmo doente quando precisa ficar na maca a maior parte do tempo. Também deram informações de quantas vezes tentaram parar de fumar, se pretendem abandonar o vício e motivos da decisão.
Durante o atendimento eles conversaram com a assistente social Marli Pereira Barroso, coordenadora técnica do Programa de Tabagismo, para exames de verificação de pressão arterial e teste de glicose. Muitos dos examinados estavam com a PA e a glicose alteradas e foram encaminhados às unidades mais próximas de suas casas para tratamento e acompanhamento pelo Programa de Tabagismo.
Entre os interessados em parar de fumar estava Claudemir Marcelo, de 49 anos, morador do Parque Alvorada. Ele disse que fuma um maço de cigarros por dia há cerca de 30 anos. “Estou procurando ajuda para parar de fumar. Após as informações passadas pelas pessoas que entende desse problema vou fazer de tudo para parar”, disse o morador preocupado.
Depois de conversar com a assistente social e fazer os exames de PA e glicose, Agnaldo dos Reis Marques disse que estava em tratamento há três meses para parar de fumar depois de 25 anos consumindo até dois maços por dia e três quando bebia. “Quero me libertar desse vício junto com a minha esposa, outra fumante. Hoje fumo três cigarros no máximo. Já é um grande avanço”, comemora ele.
 

►CAXIAS TERÁ ABRIGO PARA IDOSOS
A II Conferência Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa de Duque de Caxias foi aberta nesta quarta-feira (27), no Plenário da Câmara de Vereadores pela secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, Cláudia Peixoto, representando o prefeito Alexandre Cardoso, com uma boa notícia: a construção de um abrigo permanente para idosos sem família, no bairro de Parada Angélica, no terceiro distrito.
Para a secretária Cláudia Peixoto, a conferência oferece a possibilidade dos idosos discutirem os principais problemas e buscar novas conquistas. “Acho importante a realização desta conferência, por dar voz aos idosos de Caxias para que debatam seus problemas. Em dois anos e meio tivemos avanços importantes na cidade. Agora, está sendo construído em Parada Angélica um abrigo permanente para atender ao idoso, oferecendo toda infraestrutura”, disse.
A representante do Conselho Estadual para a Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, Nair Jane de Castro Lima, destacou a realização da conferência no município por permitir a discussão da situação do idoso em Caxias.
A solenidade de abertura teve a apresentação do Coral dos Seresteiros, composto por idosos. Estiveram presentes ao evento o secretário municipal de Defesa Civil e de Políticas de Segurança, Marcello Silva Costa, vereadores e representantes de órgãos ligados aos Direitos dos Idosos.
A conferência prossegue até sexta-feira (29/5), no auditório Wilson Chagas, da Unigranrio, com palestras, apresentação cultural, eleição dos delegados para a conferência estadual. 
Postar um comentário