domingo, 24 de maio de 2015

POLÍCIA DE MG AINDA SEM PISTAS
DOS ASSASINOS DE BLOGUEIRO
A Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) acompanha com preocupação as investigações por pare da Polícia de Minas Gerais do assassinato do blogueiro Evany José Metzker, cujo corpo foi encontrado na última segunda-feira (18) em Padre Paraíso, Minas Gerais. Metzker foi degolado e o cadáver, já em estágio avançado de decomposição, tinha outros sinais de violência.
O redator e editor do blog Coruja do Vale estava desaparecido desde o dia 14. Valseque Bonfim, também autor de um blog na região, jantou com ele na noite anterior e diz não ter notado sinais de apreensão no colega. “Ele me falou que iria a Brasília, mas não detalhou o motivo”, contou. Bonfim também desconhece o assunto da investigação na qual Metzker dizia trabalhar em Padre Paraíso, onde ocupava um quarto de pousada havia 90 dias. O blogueiro, a quem Bonfim conhecia há pouco tempo (“cerca de 70 dias”), era morador de Medina.
Na mesma noite, a mulher de Metzker, Ilma Chaves Silva Borges, trocou mensagens por celular com o jornalista, que disse estar se preparando para voltar a Medina na sexta-feira, 15. Depois disso, ele não retornou mais as tentativas de contato. Ilma afirmou ao G1 ter certeza de que o marido foi morto por causa do trabalho que exercia.
Segundo a delegada responsável pela investigação do caso, Fabrícia Noronha, a Polícia Civil trabalha com duas linhas de investigação sobre o motivo do assassinato: ligação com a atividade de Metzker em seu blog ou crime passional. Nenhuma delas prevalece por enquanto, diz a delegada.
De acordo com a polícia, não há confirmação de que o blogueiro investigava exploração sexual de menores na região. Até o momento, as investigações registram que, no período em que esteve em Padre Paraíso, Metzker cobriu temas sociais e policiais rotineiros, como precariedade no atendimento à população e ocorrências comuns.
A pedido do Sindicato dos Jornalistas de MG, o governo mineiro enviou uma força-tarefa do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa para auxiliar na investigação do crime. São quatro investigadores chefiados pelo delegado Emerson Morais, que também trabalhou na apuração dos assassinatos de Rodrigo Neto e Walgney Carvalho em março de 2013, em Ipatinga.
Em nota, a Abraji considera que crimes bárbaros como esse merecem atenção especial das autoridades.
“É fundamental que se esclareça os motivos por trás dele. Embora a polícia ainda trabalhe com mais de uma hipótese sobre as razões do assassinato, é importante confirmar ou descartar categoricamente que a causa tenha sido a atuação profissional da vítima. Não apenas porque isso permitirá encontrar e punir os culpados, mas também porque é condição necessária para que outros jornalistas possam continuar a trabalhar em suas investigações sem o temor de terem fim semelhante ao de Metzker” encerra a Nota da Abraji
Postar um comentário