quarta-feira, 27 de maio de 2015

MEC CORTA VAGAS NO PRONATEC
E NO CIÊNCIAS SEM FRONTEIRAS
Contrariando o bordão do Governo – Pátria Educadora - o Ministério da Educação (MEC) vai cortar vagas dos programas Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e Ciência sem Fronteiras, de acordo com nota divulgada pela pasta. Mas programas de merenda e transporte escolar, além do Dinheiro Direto na Escola (PDDE), destinado a melhorias nos centros de ensino, serão mantidos sem cortes.
O MEC informou que o Pronatec, o Ciência sem Fronteiras e "e outros, têm a sua continuidade garantida este ano, com o redimensionamento na oferta buscando otimizar o atendimento dos estados e das vagas, com ofertas que ainda serão definidas, mas que quantitativamente serão em número inferior ao do ano passado".
De acordo com a nota, o número de vagas ofertadas pelo Pronatec será divulgado em breve. O programa foi criado em 2011 para expandir a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica no país. Foi um dos carros-chefes na campanha da presidenta Dilma Rousseff, com o anúncio que pretendia criar mais 12 milhões de vagas.
Um dos programas reduzidos dentro do Pronatec será o Sisutec, que seleciona para o ensino técnico estudantes que concluíram o nível médio com base nas notas no Enem, já teve as inscrições adiadas mais de uma vez. Não haverá edição no primeiro semestre, como geralmente ocorre. No ano passado, o programa ofereceu aproximadamente 580 mil vagas, somadas as duas edições.
O Ciência sem Fronteiras tem editais de graduação e pós-graduação lançados ao longo de todo o ano. O programa implementou 78.173 bolsas, de acordo com o site do programa. No ano passado a presidenta Dilma renovou o Ciência sem Fronteiras e garantiu 100 mil bolsas até 2018 além das 101 mil prometidas até o final de 2014.
O contingenciamento de recursos do Orçamento Geral da União 2015 foi anunciado na semana passada. Os ministérios das Cidades, da Saúde e da Educação lideraram os cortes. Juntas, as três pastas concentraram 54,9% do contingenciamento (bloqueio) de R$ 69,946 bilhões de verbas da União. Na área de educação, o contingenciamento totalizou R$ 9,423 bilhões.

►BC DETECTOU AS PEDALADAS EM 2014
Antes de o Tribunal de Contas da União (TCU) instaurar auditoria para apurar indícios de irregularidades nos repasses do Tesouro Nacional para os Bancos públicos, o Banco Central (BC) já havia detectado o problema, que a mídia chamou de pedaladas, no início de 2014 e solicitou explicações à Caixa, disse o presidente do BC, Alexandre Tombini, nesta terça-feira (26) em depoimento na Comissão Mista de Planos e Fiscalização da Câmara dos Deputados.
De acordo ele, a resposta da Caixa foi que se tratava da antecipação de pagamento de benefícios sociais. “Em resposta, a instituição financeira informou que os montantes relacionados à ocorrência, lançados em conta de uso interno eram referentes à antecipação de pagamento de benefícios sociais”, disse.
Tombini explicou que em maio de 2014 a supervisão do Banco Central finalizou o relatório sobre o assunto, “recomendando o encaminhamento de consulta jurídica à procuradoria-geral do BC”. A Caixa, segundo Tombini, também informou ao Banco Central que havia recorrido, em novembro de 2013, à Câmara de Conciliação e Arbitragem da Administração Federal, vinculada à Advocacia-Geral da União.
A explicação detalhada de Tombini sobre a questão dos repasses ocorreu após queixas de parlamentares que consideraram evasivas as respostas de Tombini sobre o assunto.
O tema do aumento das taxas de juros também esteve na pauta da comissão mista. Respondendo a perguntas feitas pelos parlamentares, o presidente do Banco Central disse a medida é um recurso necessário para conter a inflação.
“A alta dos juros é um instrumento da política monetária. Progressos têm sido obtidos em relação a esse processo de convergência de trazer a inflação para 4,5% em 2016. Esse é um remédio que, infelizmente, tem que ser aplicado neste momento”. Tombini considerou também ser “imperativo” fazer o ajuste na economia neste momento, caso contrário o país vai “patinar por quatro anos”.

►COMBATE À CORRUPÇÃO DE CARA NOVA
Nos próximos dois meses, mais de 30 sedes do Ministério Público Federal (MPF) mudarão a paisagem de cidades de norte a sul do Brasil. Em apoio à campanha #CORRUPÇÃONÃO realizada pelo MPF em parceria com a Associação Iberoamericana de Ministérios Públicos (Aiamp), as fachadas dos prédios receberão a identidade visual da campanha.
Películas adesivas, faixas e banners com a inscrição #CORRUPÇÃONÃO serão colocadas nas sedes das Procuradorias da República nos estados, das Procuradorias Regionais da República e da Procuradoria-Geral da República, em Brasília. A procuradora da República Anna Carolina Resende, do Centro de Comunicação Integrada (CCI), explica que a iniciativa pretende mobilizar cada vez mais pessoas a aderirem à campanha. “Todo o MPF está unido na luta contra a corrupção e nosso objetivo é engajar cada vez mais pessoas ao movimento”, diz.
A campanha visa ampliar o debate sobre o combate à corrupção e conscientizar as pessoas sobre o papel do Ministério Público no enfrentamento do crime. Com duração de dois meses, a ação tem como foco mobilizar jovens nas redes sociais para se unirem ao MPF no combate à corrupção.

►PAIM: GOVERNO E PT PERDERAM O RUMO
O senador petista Paulo Paim reagiu à aprovação no Senado da MP 665, que muda as regras do seguro-desemprego e do abono salarial. Ele anunciou que deve pedir licença do mandato e também pediu que as ruas se mobilizem contra essas medidas:
“Essa foi uma das piores noites da minha vida. Estou desnorteado. O governo está sem rumo e está levando o PT junto. As ruas precisam reagir. Nós vamos ao Supremo”.
Antes da votação, Paim leu manifesto de várias centrais sindicais e confederações trabalhistas que pediam ao Senado a rejeição das propostas.
"Qualquer cidadão do bem tem a obrigação de nos ajudar a rejeitar esse projeto. Se depender de mim, eu vou a todos estados e começo essa cruzada nacional todo fim de semana em relação a essa onda de retrocesso conservadora que está, infelizmente, vindo da Câmara dos Deputados e que nós temos que contrapor", disse.

►PROPINA GARANTIDA NO PETROLÃO
Em depoimento à Polícia Federal, um diretor do grupo Queiroz Galvão, Othon Zanoide de Moraes, revelou que o grupo pagou 2% do seu faturamento (bruto) anual a título de propina aos enrolados na Lava Jato. Ele disse ser responsável apenas pelas “doações” ao PP, mas destacou que o presidente da empreiteira, Ildefonso Collares, tinha a decisão final sobre o esquema de propina.
A revelação foi feita nesta quarta (27) pelo jornalista Claudio Humberto, acrescentando que todas as empresas do grupo Queiroz Galvão, segundo Othon Moraes, reservavam até 2% do faturamento para “doar” a partidos e a políticos.
Othon disse à PF que o ex-deputado José Janene o apresentou ao doleiro Alberto Youssef, responsável pelo propinoduto do PP.
O diretor da Queiroz Galvão contou à PF que recebeu em 2010 lista de Youssef com políticos destinatários de “doações” da empreiteira.
Othon Moraes confirmou o pagamento de R$ 500 mil ao PMDB-RO, a pedido de Youssef, mas negou conhecer o senador Valdir Raupp (RO).

►CPI E MPF JUNTOS NA OPERAÇÃO ZELOTES
O procurador federal Frederico Paiva, responsável pelas investigações da Operação Zelotes, disse nesta terça-feira (26) que a CPI, instalada na semana passada no Senado, e o Ministério Público Federal vão trabalhar em uma via de mão dupla nas investigações sobre irregularidades no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).
A declaração foi feita após encontro informal entre Paiva, o presidente da CPI, senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), e a relatora, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). “Foi uma reunião muito produtiva. Passamos informações preliminares sobre a operação, foram discutidas medidas que restam para serem implementadas e no que a CPI pode colaborar”.
Para o procurador, o Senado terá dois papéis no âmbito da Operação Zelotes: buscar provas para responsabilizar os envolvidos e discutir o atual modelo do Carf. “A Casa pode, ao final desta CPI, sugerir mudanças ou uma reestruturação para aprimorar o Carf”.
A senadora Vanessa Grazziotin lembrou que a CPI já solicitou formalmente informações na reunião de instalação da comissão. Segundo ela, foram aprovados, ao todo, quatro requerimentos, três deles solicitando compartilhamento de informações da Polícia Federal, do Ministério Público e do Poder Judiciário.
“Estamos falando de possíveis desvios de recursos e cifras estratosféricas. Nosso objetivo não é diferente do da Polícia Federal, que é desvendar o esquema caso ele de fato exista e, a partir daí, repatriar o que é do povo brasileiro, punir quem deve ser punido e, principalmente, trabalhar a estrutura do Estado, sugerindo organização mais segura. ”
De acordo com o senador Ataídes Oliveira, a expectativa é que os documentos solicitados pela CPI sejam entregues até segunda-feira (1°). Segundo o presidente da comissão, amanhã (27) está prevista uma reunião com membros da Polícia Federal para tratar de informações relacionadas à Operação Zelotes. 

►MEC EXCLUI 46 DEFUNTOS DO PROUNI
Após auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) detectar falhas no controle de concessão de bolsas do ProUni), o Ministério da Educação (MEC) informou, em nota, que solucionou os problemas. O Prouni é um programa do Ministério da Educação que concede bolsas de estudo integrais e parciais em instituições privadas de ensino superior a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior.

Entre as falhas apontadas em relatório da CGU, há a concessão de bolsas a beneficiários mortos e a estudantes com renda superior ao teto estabelecido pelo programa. Quarenta e seis estudantes identificados pela CGU como mortos, após serem beneficiados com a bolsa, tiveram o benefício cancelado. De acordo com o MEC, o beneficiário que aparecia como falecido, antes de entrar na universidade, estava na verdade vivo. A informação de que o aluno estava morto – que se revelou incorreta – se deve a erro no cadastramento do estudante.
O MEC informou que, desde 2009, vem monitorando o mecanismo de supervisão dos bolsistas, visando a identificar os que não atendem aos requisitos do programa.
A auditoria da CGU revelou ainda casos de candidatos que informaram não ser brasileiros natos ou naturalizados e de pessoas beneficiadas com duas bolsas. No entanto, o MEC informa que, entre os 58 inscritos no ProUni que declararam não ser brasileiros, dez acabaram sendo beneficiados com bolsas após terem comprovado que eram brasileiros natos ou naturalizados. Os demais tiveram o benefício cancelado.

►MPE DENUNCIA FRAUDES NO ICMS
O Ministério Público do Estado do Rio, por meio da Coordenadoria de Combate à Sonegação Fiscal (Coesf), ofereceu denúncia em face de Flavio Luiz Lemos, administrador da sociedade empresária Arrows Petróleo do Brasil Ltda., por crime contra a ordem tributária. Com a fraude, o Estado deixou de arrecadar mais de R$ 18 milhões em ICMS.
Entre agosto de 2002 e abril de 2004, o denunciado fraudou a fiscalização tributária, omitindo de livros e documentos receitas relativas a operações de saída de mercadorias sobre as quais incidiriam o imposto. De acordo com a denúncia, Flavio deixou de apresentar 950 notas fiscais, de um total de 1.000, a auditores da Fazenda Estadual e depois publicou uma comunicação de extravio dessas notas.
Os fiscais analisaram informações do banco de dados da declaração de movimentação de combustíveis e constataram que postos revendedores de combustíveis haviam adquirido mercadorias da Arrows Petróleo no período correspondente à emissão das notas que suspostamente teriam sido extraviadas. Também não havia registro dessas operações nos livros contábeis, o que impediu o recolhimento do ICMS.
O denunciado violou a norma penal contida no artigo 1º, inciso II, da lei 8.137/90, que prevê que constitui crime contra a ordem tributária suprimir ou reduzir tributo, mediante fraude à fiscalização tributária, inserindo elementos inexatos ou omitindo operação de qualquer natureza, em documento ou livro exigido pela lei fiscal.

►CARTOLA DEFENDE CARTOLA
O atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo del Nero, defendeu o ex-dirigente e atual vice-presidente da FIFA, José Maria Marin, preso nesta quarta-feira (27) na Suíça, junto com outros cartolas do futebol mundial.
Segundo Del Nero, os contratos da Copa do Brasil sob investigação foram firmados antes da gestão de Marin, que teve início em março de 2012, após a renúncia de Ricardo Teixeira. "São contratos firmados antes da administração de Marin, não tem nada firmado após. Eu conheço os contratos", disse.
Marin é alvo de uma investigação criminal, na Justiça dos Estados Unidos, sobre a escolha das sedes das próximas duas Copas do Mundo e outros casos de corrupção. Ele foi preso em um hotel em Zurique, onde os cartolas estão hospedados para o congresso da Fifa que elege o novo presidente na sexta-feira (29).
A acusação da Justiça norte-americana contra a CBF é sobre acordos comerciais. Há nas investigações acusações de pagamento de suborno em relações a contratos da entidade brasileira e uma marca esportiva americana e ainda pagamentos relacionados à Copa realizada no Brasil, em 2014.
  
►CRISTO REDENTOR CONTRA O GLAUCOMA
O Cristo Redentor foi iluminado de verde para chamar atenção para o glaucoma, considerada uma doença silenciosa e em muitos casos, quando diagnosticada, já não pode livrar o paciente da cegueira. Foi o que aconteceu com Lourdes Gisele Carbo Monteiro. Ela tem 52 anos e começou a ter os primeiros sinais da doença com apenas três meses de idade. Por causa da falta de informação da família, ficou cega.
 “Eu chorava muito, não sabia falar e quando a minha mãe descobriu já era tarde. Eu perdi a visão com três meses. Quando cheguei aos cinco anos eu via um pouco de claridade, mas isso parou e a partir daí não via mais, nem a claridade. Catarata tem cura. Se eu tivesse catarata eu teria cura, com o glaucoma, não”, disse a peruana que mora no Sodalício Sacra Família, na Tijuca, zona norte do Rio. A entidade, administrada pelas Irmãs de Nossa Senhora da Glória do Recife - Pernambuco, ampara mulheres com deficiência visual e cegas entregues à mendicância e em situação de vulnerabilidade social e familiar.
Lourdes participou da cerimônia para marcar o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma e fez parte de um coral acompanhado da cantora Eliana Pittman. Além da nova iluminação do Cristo, foi celebrada uma missa na Capela de Nossa Senhora Aparecida, que fica na base do santuário localizado no alto do Corcovado, na zona sul do Rio de Janeiro.
O pároco da capela, padre Omar, disse que mais uma vez o Cristo Redentor apoia uma campanha de cidadania e de saúde e chama atenção para uma enfermidade. “O Cristo hoje iluminado na cor verde, é para dar visibilidade a esta causa, a esta campanha e também permitindo abraçar as pessoas que já estão enfermas. Foi uma noite de oração, marcada pela fé e pela emoção. Tivemos aqui um momento de encontro e de acolhimento”.

►MAIS DE 1,2 MILHÃO COM O GLAUCOMA
Pelos dados da Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG), atualmente existem 1,2 milhão de pessoas com a doença no Brasil. Segundo o diretor da SBG, Cristiano Caixeta Umbelino, esse número deve ser muito maior porque estatísticas indicam que menos de 30% da população têm o diagnóstico correto. O médico alertou para a prática que existe no país de ir às óticas para trocar o grau dos óculos sem fazer um exame completo com um especialista. 
“Isso faz com que a pessoa tenha uma visão boa e acredite que tem uma saúde ocular boa. É importante ressaltar que uma visão boa, não significa uma saúde ocular boa. Quando enxerga bem, a pessoa pode estar enxergando através de um campo visual reduzido, que é uma característica importante do glaucoma. Ao contrário da catarata que limita a visão central do paciente, o glaucoma vai diminuindo da periferia para o centro. Grande parte dos pacientes chega ao serviço para o diagnóstico de glaucoma já com a doença muito avançada”, explicou.
O diretor da SBG indicou que a melhor forma de prevenir o glaucoma é fazer exames periódicos com o oftalmologista, mesmo que não haja sintomas. “Só com uma consulta completa, com avaliação de fundo de olho, do nervo ótico, a medida da pressão intraocular é que será capaz de identificar um portador de glaucoma e evitar que evolua para a cegueira”, acrescentou.
O presidente da SBG, Francisco Lima, defende que é preciso levar mais informação para a sociedade, principalmente, para a população mais pobre que não têm acesso à saúde. “Quando se espalha a notícia da doença entre a população carente, todas as pessoas sabendo que uma cegueira pode ser evitada na família procurando um médico antes, a gente pode reduzir muitos casos”, disse. 
A presidenta da Associação Brasileira dos Portadores de Glaucoma, seus Amigos e Familiares (Abrag), Isis Penido, revelou que é portadora de glaucoma e ficou sabendo que tinha a doença em uma consulta de rotina. Ela disse que a causa foi o uso indevido de colírio com cortizóides. “Isso é muito importante informar às pessoas porque elas usam colírio aleatoriamente. Eu não fiz o uso dessa forma. Foi receitado por um oftalmologista, mas usei mais do que deveria então a minha pressão ocular subiu e causou o glaucoma”.  
Isis Penido não perdeu a visão, mas faz um controle rígido da doença para impedir que ela evolua. “Faço o controle absoluto. Sigo rigorosamente a prescrição do meu oftalmologista e vou vivendo muito bem. Tive a sorte de identificar quando tinha pouco tempo. Tem quem recomende fazer o exame uma vez por ano, mas se tem casos na família, é bom fazer de seis em seis meses”, sugeriu.

►REMÉDIO TEM VARIAÇÃO DE ATÉ 1000%
Pesquisa feita pelo Procon de São Paulo mostra que o preço dos remédios varia até 976% na capital paulista. A maior diferença foi verificada no genérico paracetamol, 200 miligramas por mililitro (mg/ml). O valor variou de R$ 0,90 a R$ 9,69. Em média, o custo do medicamento é R$ 3,83. O levantamento foi feito em 15 drogarias distribuídas em cinco regiões de São Paulo. Foram pesquisados os valores de 68 medicamentos, sendo 34 de marca e 34 genéricos.
Entre os medicamentos de marca, a amoxicilina, com nome comercial Amoxil, apresentou a maior variação: 296,06%. Em um estabelecimento, a caixa do medicamento de 500 mg, com 21 cápsulas, da fabricante Glaxosmithkline custou R$ 15,48. Em outros, o remédio foi encontrado por R$ 61,31. O preço médio do medicamento é R$ 45,49. A segunda maior diferença (186%) de preços entre os remédios de marca foi o do Dexason (acetato de dexametasona). Os valores variaram entre R$ 4 e R$ 11,44.
A supervisora da equipe de pesquisa do Procon-SP, Mônica Leotta, explica que, embora as diferenças impressionem, os valores estão dentro do estipulado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos, que reajusta os preços anualmente. Ela destaca que essa diferença pode ser explicada pela política de descontos das farmácias. “O governo estabelece preço máximo de venda e as farmácias estão livres para dar os descontos que quiserem”, esclareceu.
Mônica acredita que a concorrência pode resultar em vantagens aos consumidores. Para aproveitá-las, a saída é pesquisar. “Existe uma lista em revistas especializadas que estão disponíveis nas farmácias e o consumidor tem acesso [a essa relação]. Ele pode saber o preço máximo de qualquer medicamento, tanto de referência quanto de genérico”, destacou. Ela acredita que a medida é interessante, sobretudo, nos casos em que há urgência para aquisição de um remédio. A lista pode ser acessada também no site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

►GREVE : UFF FECHA A REITORIA
A administração da Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, informou em nota, nesta terça (26) à noite, que em face das ameaças de invasão, por parte de setores vinculados ao movimento grevista, e tendo em vista atos de invasão em outras universidades federais, decidiu pelo fechamento das atividades destinadas ao público no prédio da reitoria.
A medida tem por finalidade resguardar atividades essenciais que atendem à comunidade universitária, tais como o fechamento da folha de pagamento, o pagamento de bolsas aos alunos, o atendimento de serviços de saúde essenciais, além da preservação do patrimônio público da universidade.
A UFF informa ainda que tem enfrentado problemas de ordem financeira, com prejuízos pontuais para algumas atividades. “A despeito disso, a universidade tem sido capaz de manter suas atividades essenciais no campo do ensino, pesquisa e extensão, bem como garantir o pagamento de bolsas e auxílios, tanto acadêmicos quanto os destinados à assistência estudantil. Este é seu compromisso, e a administração fará tudo o que está ao seu alcance para cumpri-lo”, acrescenta o comunicado.
O Comitê Gestor da Universidade Federal Fluminense, que assina a nota, reafirma o compromisso em manter tais atividades em funcionamento em meio às dificuldades que ela, bem como outras universidades têm enfrentado, e reabrirá o atendimento ao público, na reitoria, tão logo isso se faça possível.

►MEC PRORROGA PRAZO PARA O FIES
O Ministério da Educação (MEC) prorrogou o prazo para renovação dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para o dia 30 de junho. O prazo, que já foi prorrogado uma vez, terminaria na próxima sexta-feira, 29 de maio. Mas, de acordo com a pasta, 100 mil alunos ainda não concluíram o processo de aditamento.
A portaria com a ampliação do prazo será publicada nesta quinta-feira (28) e, de acordo com nota do MEC, "o compromisso do governo federal é o de garantir que todos os estudantes façam o aditamento", por meio do portal do Fies.
Nesta terça (26), o MEC se reuniu com representantes das instituições privadas de ensino superior para debater o Fies.
O Fies oferece cobertura da mensalidade de cursos em instituições privadas de ensino superior, a juros de 3,4% ao ano. O estudante começa a quitar o financiamento 18 meses após a conclusão do curso. O programa acumula 1,9 milhão de contratos em mais de 1,6 mil instituições. 

►JUSTIÇA CANCELA 186 MIL TÍTULOS NO RJ
No estado do Rio, 185.965 eleitores tiveram o título cancelado porque deixaram de votar e justificar a ausência nas últimas três eleições, além de não terem regularizado a situação dentro do prazo, encerrado em 4 de maio. Para a Justiça Eleitoral, cada turno de votação é considerado uma eleição. Também foram cancelados 384 títulos por outros motivos, como duplicidade de inscrição e suspensão de direitos políticos.
Somente 3,3 % dos títulos que estavam passíveis de cancelamento foram regularizados com o pagamento das multas. O maior número de títulos cancelados ocorreu na Capital (79.693) e nos municípios de São Gonçalo (13.926), Nova Iguaçu (12.202) e Duque de Caxias (11.433).
Para recuperar o título, o eleitor deverá comparecer ao cartório eleitoral que atende o bairro da sua residência, portando documento oficial com foto e comprovante de residência, além de pagar as multas pendentes. Quem quiser verificar se o título está cancelado pode acessar o site do TRE-RJ.  Se não regularizar a situação, o eleitor fica impedido de votar, obter passaporte, ser empossado em cargo público ou renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo. A irregularidade também pode gerar dificuldades para obter empréstimos em bancos oficiais e participar de concorrência pública ou administrativa. 

►TESTE RÁPIDO PARA SÍFILIS EM CAXIAS
O calendário da secretaria de Saúde de Duque de Caxias para o combate e a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis segue a todo vapor. Na sexta-feira (22), o Programa DST/AIDS e Hepatites Virais promoveu mais um dia de realização de testes rápidos para sífilis. Durante a ação realizada na Unidade Pré-Hospitalar (UPH), de Saracuruna, foram feitos 100 testes rápidos.
O serviço mobilizou a população do entorno e também as pessoas que procuram a unidade em busca de atendimento médico. No total, foram diagnosticadas cinco pessoas com a bactéria Treponema pallidum, causadora da doença: quatro mulheres, uma delas gestante, e um homem.
Os pacientes diagnosticados com a sífilis foram diretamente encaminhados para iniciarem o tratamento na unidade. Além dos testes, cujos resultados demoram apenas 15 minutos, foram distribuídos preservativos e panfletos informativos a respeito dos sintomas da doença e seus métodos preventivos.
Rosângela Mendonça Hemmerling, vendedora, foi uma das primeiras a se submeter ao teste. Segundo ela, é importante que as pessoas façam uso de métodos preventivos para se mantiver saudáveis. “Eu tenho medo das DSTs, por isso estou sempre me cuidando. Procuro sempre usar camisinha nas relações. Eu recomendo que todo mundo faça o mesmo. Existe o amor de uma noite, mas também o amor do ano inteiro, a pessoa tem que se amar primeiro”, alertou a moradora.

Postar um comentário